Tartarugas – uma delas rara e já morta – são resgatadas por ‘Operação Praia Limpa’ em Ilhabela, SP, junto com 170kg de lixo

Todo ano, em inúmeras praias do Brasil, prefeituras – por intermédio de suas secretarias do meio ambientas e o apoio da iniciativa privada -, realizam uma super limpeza para retirar lixo do mar e aproveitar a oportunidade para conscientizar os banhistas e a população local sobre a necessidade de manter os oceanos livres de resíduos. A Operação Praia Limpa acontece há muitos anos – não encontrei nenhuma informação sobre o início dessa iniciativa, então, se alguem souber, por favor, comente aqui neste post -, mas parece que as pessoas só se espantam com o que é encontrado e depois esquecem.

Pois, no fim de semana passado (16 e 17/2), a Prefeitura Municipal de Ilhabela, litoral norte de São Paulo, realizou essa operação nas praias Engenho d’Água e Santa Tereza e, além de retirar do mar uma grande quantidade de resíduos – quase 200kg!! – de todo tipo, resgatou duas tartarugas. Uma com vida, mas muito debilitada, e outra já morta, a mais rara.

A tartaruga rara era um exemplar da espécie Dermochelys coriácea (foto abaixo), conhecida como tartaruga gigante ou de couro – a maior do mundo -, que geralmente utiliza a costa brasileira para se alimentar e se reproduzir. Tinha cerca de 100 anos. Essa espécie está ameaçada de extinção, não só por causa da coleta de ovos que ê feita de forma indiscriminada, como também pela captura acidental provocada por redes de pesca abandonadas ou perdidas por pescadores.

A outra espécie resgatada no meio do lixo – era uma tartaruga verde, Chelonia mydas (na foto abaixo, filhotes da espécie) – estava muito machucada e foi levada para o Instituto Argonautas, na praia do Engenho d’Água, para reabilitação. Em seguida, transferida para uma unidade de estabilização, em São Sebastião, mas não resistiu. Na segunda, 18/2, morreu, diagnosticada com infecção no sistema digestivo.

Mais duas vítimas da poluição dos oceanos! Os animais marinhos, muitas vezes, confundem sacos plásticos com algas. Além disso, sofrem com as redes de pesca, como comentei acima, e também com o choque com barcos de recreio ou pesca. Está mais do que na hora de parar de pensar que o lixo pode ser jogado fora. Fora de onde? Nosso planeta é um só, é nossa casa. O lixo não vai sumir, só se acumular em rios e mares e intoxicar as águas vitais para nossa sobrevivência e os animais que nela vivem.

A Operação Praia Limpa em Ilhabela também tirou do mar 170 quilos de materiais de todos os tipos: vasos sanitários, pneus, um ventilador, pedaços de isopor de diversos tamanhos, garrafas térmicas, canudinhos, sacolas e garrafas de plástico, entre outros. Inacreditável!

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta