Tocando o vazio

Num dia de julho, o fotógrafo Augusto Gomes entendeu o verdadeiro significado da palavra sublime. Foi nos Andes peruanos. A densa cortina de neve, traduzida pelo silêncio e pelo nada, o marcou profundamente, como uma cicatriz

Ler mais

O banco das rosas. O banco das farpas.

As fotos do artista paulista W.Camacho impressionam pela beleza que encontram no menos, no mais dolorido, no pequeno, na falta, na ausência. Escancaram a vontade de preencher. Fazem bagunça no vazio. Transformam o movimento barulhento em silêncio pacato

Ler mais