“Sem florestas, não há plano B para as mudanças climáticas”, diz Príncipe Charles

Príncipe Charles diz que não há plano B para mudanças climáticas sem florestas

Há décadas o Príncipe Charles, futuro rei da Inglaterra, é um ativista pela sustentabilidade. Em suas viagens e discursos, sempre defendeu a proteção ao meio ambiente e o combate às mudanças climáticas, desmatamento e poluição dos oceanos.

Durante a cerimônia de abertura da Conferência das Nações Unidas pelas Mudanças Climáticas (COP21), ontem (30/11), em Paris, mais uma vez o Príncipe de Whales (seu título oficial na Monarquia Britânica) foi enfático em sua posição. Afirmou que não há maior desafio enfrentado atualmente pelos líderes mundiais do que as mudanças climáticas e conseguir reduzir o aumento da temperatura do planeta até no máximo 2oC até o final deste século.

“É muito simples: precisamos salvar nossas florestas. Não há plano B para enfrentar as mudanças climáticas ou outros desafios críticos que confrontam a humanidade sem elas”, alertou Charles.

No ano passado, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, já tinha usado a mesma expressão para falar sobre o aquecimento global. Segundo ele, “não há plano B porque não há planeta B”.

Ainda durante seu discurso, diante de uma plateia lotada com outros representantes das monarquias europeias, Princípe Charles criticou o comportamento de muitas empresas que não se importam com a origem da matéria-prima utilizada em seus produtos. Se seus fornecedores estão desmatando florestas ou não. “Todas as companhias deveriam se comprometer a impedir a destruição das florestas de uma vez por todas, com índice de desmatamento zero sendo a regra e não a exceção”, disse.

Ele destacou ainda a importância de iniciar um movimento mundial, em larga escala, pelo reflorestamento.

De acordo com levantamento feito pelas Nações Unidas, cerca de 12 milhões de hectares de florestas são destruídos por ano, o que representaria aproximadamente 11% das emissões globais dos gases de efeito estufa do planeta, principais responsáveis pelo aquecimento da Terra.

O príncipe inglês lembrou ainda da importância dos serviços ambientais que as árvores fornecem ao ser humano e da dependência de milhares de pessoas das florestas, especialmente populações indígenas, para sobreviver.

Leia também:
COP21: o mundo à procura de um acordo climático perfeito
O mundo marcha pelo clima

Em um ano, desmatamento na Amazônia aumenta 16%
Amazônia: mais da metade das espécies de árvores sob ameaça

 

Foto: reprodução vídeo COP21

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

9 comentários em ““Sem florestas, não há plano B para as mudanças climáticas”, diz Príncipe Charles

Deixe uma resposta