Sabe aquele pão velho que estava aqui? Virou cerveja!

cerveja

Quando a gente fala em desperdício de alimentos, a primeira coisa que nos vem à mente são hortaliças e frutas. Mas diversos outros produtos também são jogados fora diariamente no mundo e – ainda estavam em perfeito estado para serem consumidos.

É o caso, por exemplo, do pão. No Reino Unido, ele é o alimento mais desperdiçado em casa. Todos os dias, 24 milhões de fatias de pão são jogadas na lixeira. Isso mesmo, você não leu errado. 24 milhões! Por ser um produto facilmente encontrado em todo lugar e de custo razoavelmente baixo, as pessoas acabam comprando demais. Estima-se que 44% de todo pão produzido pelos britânicos tenha como destino o lixo. Supermercados estocam demais para ter suas prateleiras sempre cheias e com isso, mais pão é desperdiçado.

Incomodado com o descarte completamente desnecessário – de um volume inaceitável de alimento – Tristam Stuart teve uma ideia genial. Usar o pão que iria parar no lixo para a fabricação de cerveja. E não é só. Todo o valor da venda da Toast Ale, nome da cerveja  – toast em inglês significa tanto torrada como brinde e ale é como os britânicos chamam cerveja -, é revertido para a organização ambiental Feedback, que combate o desperdício de alimentos.

Stuart ficou chocado ao visitar uma fábrica de pão de forma e descobrir que 13 mil fatias iam para o lixo diariamente. Pouco tempo depois, ele visitou uma cervejaria em Bruxelas que utilizava pão na fabricação. Eureka! O empreendedor inglês viu então que estava ali a solução para diminuir o desperdício de pão em seu país.

A Toast Ale começou a ser comercializada na Inglaterra em janeiro deste ano, em parceria com pequenas cervejarias locais. Para a receita, pode ser usado qualquer tipo de pão, com exceção daqueles muito oleosos (como focaccia, por exemplo) ou os que levam outros ingredientes, como nozes ou azeitonas. O pão precisa estar fresco para que a cerveja tenha o sabor ideal?, pergunto para Louisa Ziane, assessora de Stuart. “Usamos fresco porque há muito disponível atualmente. Os fabricantes de sanduíche e pão de forma sempre jogam fora a casca”, explica ela.

A equipe da Toast Ale também usa como ingrediente para a cerveja sobras de pães artesanais de padarias de Londres, que não seriam mais vendidos no dia seguinte.

Depois de coletados, os pães são torrados e quebrados em pequenos pedaços para serem adicionados aos demais ingredientes: malte de cevada, cascas de aveia, pão, água, lúpulo e fermento. Juntos, eles dão à Toast Ale um sabor maltado, semelhante aos das cervejas âmbar ale e de trigo.

toast-ale-pao-cerveja-producao-800

O pão que seria jogado no lixo virá ingrediente da Toast Ale

Pouco mais de oito meses após o lançamento da Toast Ale, já foram produzidos 11.500 litros de cerveja (em garrafas e barris). Com isso, 1,2 tonelada de pães deixou de ser desperdiçada. “Tivemos uma resposta extraordinária de nossos consumidores. Vendemos tudo o que fabricamos. As pessoas gostam da cerveja, amam a iniciativa inovadora de usar o pão e poder ajudar financeiramente uma organização ambiental”, revela Louisa.

Por ser produzida de forma artesanal e numa escala muito pequena ainda, a Toast Ale custa um pouco mais do que outras cervejas tradicionais. Por enquanto, ela só é encontrada em lojas independentes de Londres. Mas o sucesso da cerveja de pão britânica não passou despercebido pelos americanos. Por lá, já houve contato de pessoas interessadas em fabricar a Toast Ale. “Estamos agora na fase de criar a empresa legalmente naquele país, mas já temos uma equipe pronta para trabalhar. Os Estados Unidos não são somente um mercado gigantesco para cervejas artesanais, como também têm presenciado um movimento enorme, cada vez mais crescente, para dar fim ao desperdício de alimentos. Parece o lugar e momento perfeito e estamos muito animados com a nova perspectiva”, afirma.

toast-ale-pao-cerveja-3-800

O objetivo da Toast Ale agora é fazer parcerias com organizações ambientais, cervejarias e fabricantes de pão ao redor do mundo para que eles possam replicar o modelo feito em Londres.

Para os mestres cervejeiros que ficaram interessados na notícia, a Toast Ale fornece de graça a receita. Afinal, boas ideias são feitas para serem compartilhadas porque este é o conceito fundamental por trás da economia criativa e colaborativa.

A batalha contra o desperdício de alimentos

Tristam Stuart sabe bem do que está falando. A Toast Ale não é o primeiro projeto do britânico. Ele já é famoso no Reino Unido pela sua incansável luta para dar um basta ao desperdício de comida.

O ativista escreveu dois livros sobre o tema: The Bloodless Revolution e Waste: Uncovering the Global Food Scandal. Este último teve grande repercussão ao falar sobre o impacto social do problema e como, ao deixar de desperdiçar metade dos alimentos que produzem, os países ocidentais poderiam reduzir muito a insegurança alimentar no planeta. Stuart também foi premiado diversas vezes pelo seu trabalho, como quando recebeu o prêmio ambiental internacional The Sophie Prize, em 2011.

A organização Feedback foi criada em 2009 por ele. Desde então, tem promovido campanhas no Reino Unido e em outros países, pressionando grandes cadeias do varejo a ter uma atitude mais sustentável e ao mesmo tempo, conscientizando as pessoas que enquanto milhões morrem de fome em diversos cantos do mundo, ainda joga-se comida no lixo.


Fotos: divulgação Toast Ale

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta