Ribeira Essencial: websérie com Marcelo Rosenbaum revela a beleza e a força da cultura quilombola e lança petição


O arquiteto e designer Marcelo Rosenbaum não é só conhecido por seu talento nas áreas de design, decoração, reformas e construções, mas também pelo trabalho lindo que desenvolve com o projeto (que virou instituto) A Gente Transforma, que criou em 2008, logo após a tragédia provocada pelas enchentes em Santa Catarina (saiba mais na última parte deste post).

Agora, lança o primeiro episódio (são quatro) da websérie Ribeira Essencial, um mergulho na cultura quilombola – juntamente com o ISA (Instituto Socioambiental) – que revela detalhes de sua passagem pelo quilombo Ivaporunduva, o mais antigo do Vale do Ribeira, no município de Eldorado, SP. Assista ao episódio A Chegada, no final deste post.

Ele partiu para lá com alunos do curso de Design Essencial da Faculdade de Belas Artes (SP), um grupo formado por arquitetos, designers, jornalistas e publicitários, entre outros profissionais. Nesse lugar “mágico e cheio de mistérios”, todos tiveram oportunidade de vivenciar a força da natureza, da cultura e dos saberes ancestrais dessa comunidade, além da beleza da região que é considerada patrimônio natural da humanidade pela Unesco.

E é essa jornada de lindas descobertas e conexões que podemos acompanhar a partir de hoje (3/3) e por mais três semanas – e sempre que quisermos -, por meio da websérie dirigida por Carol Quintanilha.

Todas as histórias registradas no programa têm um fio condutor: a relação estreita dos quilombolas com a floresta, de onde tiram tudo de que precisam. Assim como fazem os povos sábios e originais de todo o mundo.

“O primeiro momento mágico da nossa viagem se deu na recepção pelas senhoras quilombolas, as matrizes femininas de Ivaporunduva. Elas são árvores antigas, as grandes guardiãs daquilo tudo”, relata Rosenbaum. Delas, ouviram “histórias de curas, aquelas que não estão nos hospitais, mas relacionadas às energias do ambiente, da integração com a natureza”, destaca o designer.

Também por elas foram apresentados às belezas e patrimônios materiais e imateriais da comunidade. A partir daí, o grupo já estava imerso na relação dos quilombolas com a natureza e a preservação de seu território, muito rico em florestas e biodiversidade, além da variedade agrícola que garante segurança alimentar para todos. Mas não só. Ficou clara também a união entre todos, por amor e pelo bem comum.

Petição para salvar os territórios quilombolas

Importante destacar que a página da websérie, mantida pelo ISA, não só apresenta vasto material sobre o Vale, como também convida os interessados na websérie a assinar a petição que reivindica a titulação dos territórios quilombolas na região.

Das 26 comunidades existentes no Vale do Ribeira, somente o quilombo Ivaporunduva é titulado integralmente. As demais estão sob risco de perder suas terras e, por consequência, as condições tão especiais que possuem para a manutenção de sua cultura e a relação harmoniosa com o meio ambiente.

Esta petição é um instrumento fundamental para pressionar autoridades federais e estaduais para que agilizem os processos de titulação, tão necessários e urgentes para as comunidades. Para tanto, é preciso reunir milhares de assinaturas. Vamos ajudar a divulgar?

Abaixo, registro dos integrantes da comunidade com os alunos de Rosenbaum.


A Gente Transforma: história e projetos

Tudo começou em 2008, quando, desesperado com a tragédia provocada pelas enchentes em Santa Catarina, Rosenbaum partiu para a região para capacitar moradores como pintores e ajudar na recuperação das casas da região.

Em seguida, veio o trabalho social desenvolvido no Parque Santo Antonio, na periferia de São Paulo, considerado um dos mais violentos. As casas da comunidade foram pintadas e a infraestrutura transformada, o que ajudou a recuperar jovens que haviam sido desviados das drogas e também a elevar o espírito de comunidade entre todos.

Depois, Rosenbaum e sua equipe desembarcaram em Várzea Queimada, no interior do Piauí, uma das regiões mais pobres do país. Lá, capacitou moradores para a criação de uma coleção linda de objetos de palha, o que ajudou a elevar a imagem do artesanato local e a recoloca-lo no mercado de decoração e design, gerando renda para a população.

Antes do projeto desenvolvido com o quilombo Ivaporunduva, Rosenbaum esteve com os índios Yawanawá, das aldeias Nova Esperança e Amparo, no Acre. O trabalho desenvolvido por lá está registrado no site e também no documentário A força da floresta.

Agora, assista ao primeiro episódio da websérie Ribeira Essencial:

Fotos: Reprodução do vídeo (abertura e quarta foto) e Luiz Cunha/ISA

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta