Quem anda a pé, de bike ou transporte público, em Bolonha, ganha sorvete e cerveja de graça


Quem anda a pé, de bike ou transporte público, em Bolonha, na Itália, ganha sorvete e cerveja de graça

Uma iniciativa maravilhosa. É desta maneira que os moradores e turistas de Bolonha, ao norte da Itália, chamam o Bella Mossa, que na tradução para o português significa Bom Trabalho.

Criado em 2017, o projeto recompensa as pessoas que optam por deixar o carro em casa e andar a pé, usar a bicicleta ou um meio de transporte público. O objetivo é estimular a mobilidade sustentável e reduzir a poluição em Bolonha.

E como é feita troca pela recompensa? Para participar do Bela Mossa , é preciso se inscrever no programa e baixar um aplicativo que registra as jornadas realizadas, transformadas em pontos. O importante não é a distância percorrida, mas a assiduidade. Só podem ser computadas quatro viagens diárias.

Depois de um certo número de trajetos feito sem o carro e pontos acumulados, a pessoa pode trocá-los por sorvete, cerveja, ingressos de cinema gratuitos e também uma série de descontos em diversas lojas e serviços.

“Pela primeira vez conseguimos envolver as pessoas em um projeto como este”, disse Marco Amadori, urbanista e idealizador do Bela Mossa, em entrevista à rede britânica BBC. “Todo mundo tem a chance de trocar uma viagem de carro por uma de bike ou de ônibus e ser recompensado pela boa mudança de comportamento”.

O programa só funciona seis meses por ano, durante o verão europeu, e conta com a parceria de mais de 100 comerciantes locais, que oferecem os prêmios. Para que não haja nenhuma “trapaça”, um GPS no aplicativo monitora a distância das viagens e o meio de transporte escolhido. O app mostra ainda quanto de CO2 (dióxido de carbono) deixou de ser emitido com cada “viagem verde”.
Assim como outras cidades italianas históricas, Bolonha não foi projetada para o trânsito intenso que possui atualmente. Há registros de povoados na região já no século VI, antes de Cristo. Seu centro tem ruas estreitas e feitas de paralelepípedos.

O Bella Mossa estimula também a participação de escolas e empresas em um desafio para conferir quem consegue acumular mais pontos.

Até o momento, a iniciativa que é financiada pela prefeitura, com apoio da Comunidade Europeia, registrou 3,7 milhões de quilômetros percorridos de forma sustentável e 16 mil recompensas resgatadas. Apenas entre abril e junho de 2018, 10 mil pessoas se inscreveram no programa.

Vida longa ao Bela Mossa e que ele possa ser copiado em outras cidades do mundo. Que tal no Brasil?

Foto: reprodução Facebook Comune di Bologna Iperbole Rete Civica/@AlessioSpiga (abertura) e divulgação

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta