Que tal um vidro fotovoltaico para geração de energia solar? Ele já existe!

vidro fotovoltaico

A cada dia que a energia solar torna-se mais viável e com custo competitivo perante outras fontes energéticas – só em 2014, o investimento global na produção de energia a partir do sol aumentou 25% -, novas tecnologias são desenvolvidas para ampliar e popularizar o seu uso.

Algumas delas já estão disponíveis no mercado internacional, mas ainda são pouco conhecidas. É o caso, por exemplo, do vidro fotovoltaico. Uma das pioneiras neste setor é a empresa espanhola Onyx Solar, fabricante de um produto que acaba de receber o prêmio de inovação – Wsset Innovation Awards 2016 – da  World Society of Sustainable Energy Technologies.

O vidro fotovoltaico faz a conversão da luz do sol em eletricidade, através de semicondutores transparentes (células solares), colocados entre duas lâminas, como se fosse um sanduíche. A condução é realizada por fios instalados no interior dos perfis. Além de gerar energia, os vidros que podem ser instalados em janelas e fachadas de casas e prédios ajudam a diminuir a absorção de calor interno e consequentemente, reduzem a necessidade do uso de ar-condicionado. E ainda assim, permitem a passagem da luz natural.

vidros fotovoltaicos

A energia gerada é conduzida através de fios instalados dentro dos perfis

Atualmente edifícios do mundo todo são responsáveis pelo consumo de 70% da eletricidade usada nas grandes cidades, aumentando ainda mais a emissão de dióxido de carbono, o gás CO2, um dos principais responsáveis pelo aquecimento global. Uma das vantagens da produção local de energia, como a feita pelo vidros fotovoltaicos, é que não é necessário o uso do grid. Estima-se que haja uma perda de 30% de eletricidade quando linhas de transmissões são utilizadas.

A tecnologia desenvolvida pelos espanhóis da Onyx Solar já está em funcionamento em diversos lugares do mundo. O edifício mais alto de Singapura, por exemplo, tem toda sua fachada feita com vidros fotovoltaicos. O estádio American Airlines Arena, em Miami, também possui em seu projeto estruturas circulares com o material. Ele permitirá a produção de 34.500 kWh. Com isso, o estádio se tornou o primeiro centro esportivo dos Estados Unidos a receber uma certificação LEED Gold, que atesta a excelência em construções sustentáveis. Até no Brasil, é possível ver os vidros fotovoltaicos. A tecnologia foi empregada no Aeroporto de Viracopos, em Campinas.

Leia também:
A nova geração de telhados solares já está a caminho! 
O domingo em que 95% da energia da Alemanha veio de fontes renováveis
A era do carvão chegou ao fim
Dinamarca bate novo recorde mundial: 42% da energia produzida no país é eólica
Mercado brasileiro de energia solar espera crescimento de 300% em 2016
Como o Uruguai conseguiu ter 95% de sua eletricidade gerada por fontes renováveis?

 

Fotos: divulgação Onyx Solar

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta