Que tal um filme plástico feito com proteína de leite e … comestível?

plástico feito com proteína do leite

Se você recicla seu lixo em casa já deve ter reparado no enorme volume de resíduos que produzimos diariamente. Muitas embalagens são recicláveis, mas algumas ainda não. É o caso, por exemplo, dos filmes plásticos, aqueles que envolvem queijos, bandejas de frios e carnes e uma série de outros alimentos

Mas pesquisadores do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos conseguiram desenvolver um plástico feito a partir da proteína do leite, a caseína. A alternativa sustentável ao filme plástico, que usamos atualmente e é feito com resinas derivadas do petróleo, tem muitas vantagens. Por ser produzido com uma substância natural – a caseína -, o novo plástico é biodegradável.

Os pesquisadores americanos garantem ainda que a película de plástico de leite é até 500 vezes mais eficiente do que a tradicional para manter o vácuo na embalagem, ou seja, deixar o oxigênio longe do alimento a ser protegido, isso porque a proteína forma uma rede mais resistente.

Durante o desenvolvimento do produto, os cientistas tiveram que adicionar outras substâncias para tornar o plástico mais prático para o uso no dia a dia. A glicerina faz com que a película fique mais macia e uma gelatina natural de frutas cítricas deixa o filme plástico mais resistente à umidade e ao calor.

Um dos principais diferenciais do plástico à base de leite afirmam os pesquisadores é que ele pode ser consumido. Isso mesmo! Ele é comestível. Eles dizem que é possível, inclusive, adicionar vitaminas e sabores à embalagem plástica.

“Hoje em dia as embalagens são cada vez menores, o que é ótimo para quem quer levar um lanche para o trabalho ou à escola. O problema é que isso gera muito lixo”, destacou Laetitia Bonnaillie, em entrevista ao site Bloomberg. “Embalagens comestíveis podem ser uma solução para resolver este problema”.

que-tal-filme-plastico-proteina-leite-comestivel-conexao-planeta

Película plástica é biodegradável, comestível e mais eficiente para preservar o vácuo nas embalagens

A sugestão da cientista é que em vez de jogar na água quente somente o pó de sopas, café e chás, por exemplo, a embalagem plástica toda seja dissolvida e consumida.

Outra aplicação encontrada pelos pesquisadores para a substância feita com a caseína líquida é que ela pode ser usada como spray para preservar alguns alimentos. Atualmente, para manter a crocância de barras de cereais e cereais matinais é utilizado o açúcar. A proteína do leite, que engorda menos e é mais saudável, pode exercer a mesma função.

Os estudos do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos ainda estão em fase inicial, mas o que se espera é que a indústria alimentícia se interesse pelos resultados e invista no potencial do novo plástico natural, que não gera impacto no meio ambiente.

 

Fotos:  rene de paula jr/creative commons/flickr (abertura) e American Chemical Society (foto leite  e vídeo)

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta