Que tal fazer um guia de parques e praças bacanas de sua cidade? Convide as crianças para participar!

Julho chegou! E junto com ele, as férias escolares. Mesmo sendo inverno, ficar dentro de casa não é uma opção saudável. Já falamos aqui sobre os benefícios de brincar do lado de fora em qualquer estação e as recomendações específicas para as baixas temperaturas.

Então, esteja onde estiver, lembre-se: espaços para brincar do lado de fora é o que não falta! Em toda cidade há parques, pracinhas, ruas sem saída e equipamentos públicos que podem ser palco de muitas brincadeiras. Mas a pergunta que não quer calar é: você conhece estes espaços? Quantos deles?

Para começar, você precisa saber que estes locais existem. No site oficial das prefeituras geralmente há páginas dedicadas aos parques das cidades. O site da prefeitura de São Paulo, por exemplo, oferece os endereços de mais de 100 parques, divididos por regiões. Já o da prefeitura do Rio de Janeiro apresenta uma lista com pouco mais de 20 parques, mas o site da fundação Parques e Jardins oferece detalhes de cada um. A prefeitura de Salvador, por sua vez, dedica área do seu site a temas relacionados com sustentabilidade, na qual exibe uma lista acompanhada de um mapa com cinco áreas de preservação da cidade.

Mas claro que há espaços bacanas que não estão listados em nenhum desses sites e, portanto, só quem vive na cidade conhece. Você deve saber de muitos, temos certeza. E para saber mais?

Uma boa ideia é conversar com outras famílias, no seu bairro, no seu condomínio, na rua onde mora, na escola, nos espaços públicos que frequentam. Perguntar: “Onde vocês costumam brincar?”. Com as respostas, você pode criar sua própria lista de espaços novos para brincar com sua família – suas crianças, principalmente! – e sair para conhecê-los.

Ao se propor a conhecer esses espaços você desvenda suas possibilidades, sua estrutura… mas – claro, de novo! – nada melhor do que as crianças para explorarem o local com mais delicadeza e minúcia, com um olhar mais explorador. Então, que tal incentivá-los a marcar encontros para brincar com os amigos, ou mesmo chamar todos que ajudaram a construir essa ‘lista de parques’?

A Flavia e a Miriam, do projeto Na Pracinha, começaram assim. Contamos aqui a história do movimento que elas criaram em Belo Horizonte. Hoje, todas as anotações que fizeram sobre os novos espaços explorados para brincar em BH viraram um guia: Beagá para brincar, que será lançado este ano.

Imagine poder desfrutar de uma lista bacana dos parques de sua cidade elaborada sob a perspectiva de duas mães que brincam com suas crianças nesses espaços? Desejamos que grupos de pais e mães de todo o Brasil se inspirem nessa iniciativa e façam os guias de suas cidades também!

Então, que tal um desafio para este mês de julho? Contem pra gente quantos novos espaços para brincar lá fora e em contato com a natureza você conheceu nestas férias?

Foto: Renata Stort

Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto “Ser Criança é Natural” para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.

Ana Carolina Thomé e Rita Mendonça

Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto "Ser Criança é Natural" para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.

Deixe uma resposta