Projeto de lei quer proibir novos zoológicos e aquários em São Paulo e mudar regras dos já existentes

Projeto de lei quer proibir novos zoológicos e aquários em São Paulo e mudar regras dos já existentes

Este é um assunto que sempre gera muita polêmica: a manutenção de animais confinados em espaços artificiais em zoológicos e aquários para a visitação pública.

Há aqueles que afirmam serem esses lugares cruéis. Por que manter bichos longe de seu habitat natural, em áreas diminutas, somente para o prazer dos seres humanos?

Já para os que defendem a existência de zoos e aquários, há três alegações muito pertinentes. A primeira é que muitos dos animais que estão ali foram criados em cativeiro e infelizmente, nunca conseguiriam sobreviver na vida selvagem. Além disso, muitos zoológicos são também centros de estudos científicos e de reprodução para as espécies que ali vivem. Por último, a exposição dos bichos se faz importante para que as pessoas os conheçam melhor e assim, aumente a conscientização sobre a necessidade de protegê-los.

Para aumentar ainda mais a polêmica sobre a questão – bons ou ruins? -, o vereador Reginaldo Tripoli (PV), de São Paulo, apresentou o Projeto de Lei 30/2019, na Câmara Municipal, em que prevê a proibição da abertura de novos zoológicos e aquários na cidade.

E não é só. Naqueles já existentes (há dois na capital paulista), o texto determina que sejam fechados dois dias por semana para que os animais possam descansar e sejam preservados do estresse causado pelo público. Atualmente, eles ficam abertos de segunda a domingo.

“Não queremos o fechamento do zoológico de São Paulo, que apesar  do formato obsoleto de exposição, presta um serviço de apoio ao receber animais resgatados impossibilitados de soltura”, afirma Tripoli. “Queremos uma transição para um novo modelo, com mais tecnologia, instrumentos de educação ambiental mais eficientes e, principalmente, sem sofrimento animal”.

O projeto de lei quer ainda que fique proibida a captura de animais na natureza para exibição nesses lugares.  

“O aquário em São Paulo abriga dois ursos polares, sendo um deles capturado na natureza pelo país de origem. São animais exóticos que vivem em climas completamente diferentes de seu habitat natural”, diz o vereador. “Nenhum aquário ou zoológico será grande o suficiente para animais desse porte”.  

Quando os ursos polares foram trazidos da Rússia para o Brasil, em 2015, o zoológico de São Paulo recebeu muitas críticas. Mas na época, seus administradores afirmaram que “… os ursos polares não foram tirados na natureza… nasceram em cativeiro e viviam em um espaço muito pequeno em outro zoológico”.

Tripoli acredita que é possível substituir os atuais modelos por similares digitais, que teriam o mesmo papel educacional para a população.

“Temos tecnologia disponível para prover uma experiência muito mais enriquecedora e educativa para as nossas crianças, como por meio de realidade virtual e dos recursos digitais”, defende. “Precisamos acelerar a transição dos antigos modelos de zoológicos e aquários para outro mais moderno, que seja um instrumento autêntico de educação ambiental e defesa animal”. 

A partir de agora, o texto do projeto de lei segue para a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, antes de ser votado em plenário. Após as duas votações previstas, a matéria, caso aprovada, segue para sanção ou veto do prefeito Bruno Covas (PSDB).

Leia também:
Aquário de Vancouver é proibido de manter golfinhos e baleias em cativeiro
Gigante do turismo para de vender pacotes para parques com orcas em cativeiro
SeaWorld acaba com reprodução de baleias orca em cativeiro
Portugal proíbe uso de animais selvagens em circos
Animais de atrações turísticas de Bali sofrem abusos e maus-tratos, denuncia organização internacional

Foto: domínio público/pixabay

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Projeto de lei quer proibir novos zoológicos e aquários em São Paulo e mudar regras dos já existentes

  • 4 de março de 2019 em 1:52 PM
    Permalink

    Prisão é para culpados, não para inocentes que foram raptados de seu Habitat por ladrões humanos que não foram punidos por isso, porque a Lei os beneficia e acoberta. Também são culpados os responsáveis que levam filhos, netos e sobrinhos para apreciar animais presos, achando que nasceram para serem exibidos como troféus a coisa nenhuma. Crianças poderiam aprender com a desgraça alheia se fossem ensinadas a não serem cúmplices dela. Poderiam ser educadas a enxugar lágrimas ao invés de as apreciarem quando rolam de olhos sofridos. Crianças deveriam se horrorizar diante de animais escravizados ou de pessoas algemadas, ao invés de participarem de sua dor, comendo pipoca e tomando sorvete, achando muita graça nisso.

    Resposta

Deixe uma resposta