Programa Adote uma Árvore estimula curitibanos a tornar a cidade mais verde

Programa Adote uma Árvore estimula curitibanos a tornar a cidade mais verde

Considerada uma das cidades do Brasil mais arborizadas, a capital do Paraná quer ficar ainda mais verde. A prefeitura de Curitiba tornou mais fácil para os moradores solicitarem o plantio de árvores em vias públicas.

Através do Programa Adote uma Árvore, lançado em agosto, a população pode pedir que seja plantada uma muda na rua onde mora, trabalha ou acha que está faltando verde.

Para isso, basta ligar para o telefone 156 e solicitar uma árvore da produção do Horto Municipal da Barreirinha. Técnicos irão então analisar o pedido e determinar qual espécie é mais adequada na região para evitar, por exemplo, problemas futuros com galhos que interferem na rede elétrica ou que se projetam para a rua.

“Há espécies mais adequadas de acordo com o local, tamanho a que podem chegar e outras características”, explica Roberto Salgueiro, engenheiro agrônomo responsável pelo Horto da Barreirinha. “É preciso levar em consideração situações como a existência de fiação da rede elétrica, de tubulação de gás que impeça a escavação, tipo de calçamento, largura do passeio, entre outras”.

Depois dessa análise detalhada, que leva em média cerca de uma semana, o solicitante será contactado e poderá retirar a muda. Além das instruções de plantio, ele receberá ainda um certificado do Adote uma Árvore. Em alguns casos, se o plantio não for indicado na rua onde o morador fez o pedido, a solicitação pode ser negada.

“Quando é dada a possibilidade de a própria pessoa plantar, nasce um sentimento de responsabilidade e cuidado maior”, afirma José Roberto Roloff, diretor de Produção Vegetal da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. “E este é um dos principais objetivos do programa”.

Viveiro de mudas do Horto da Barreirinha, em Curitiba

No ano passado, o Observatório das Metrópoles, coordenado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), elaborou um ranking avaliando a qualidade de vida nas 27 capitais brasileiras. Segundo o levantamento “Bem-Estar Urbano”, Curitiba aparecia em 3º lugar, ficando atrás somente de Vitória e Goiânia.

Certamente, a arborização da cidade contribui muito para esta posição. Árvores oferecem ar puro e alívio para o estresse. E mais. Um estudo da Agência Espacial Americana (Nasa) revelou que a temperatura das grandes cidades está diretamente relacionada à extensão da cobertura vegetal das mesmas. Durante o verão, centros urbanos cobertos por solos impermeáveis – como asfalto, estradas, edifícios – apresentam temperatura 1,9ºC superior ao de áreas rurais próximas, onde a existência de árvores e folhagens é maior. No inverno, esta diferença cai para 1,5ºC.

PROGRAMA ADOTE UMA ÁRVORE
Local: Curitiba
Telefone: 156
Atendimento: segunda a sexta-feira, das 7h às 11h30 e das 13h às 16h

Leia também:
Plantar árvores salva milhões de vidas nas cidades
Prédio terá 23 mil árvores para melhorar qualidade do ar
Arquitetos apostam em jardim vertical para reduzir barulho e poluição do ar
12 cidades se comprometem a livrar ruas e bairros das emissões de gases até 2030

Fotos: divulgação prefeitura de Curitiba/Daniel Castellano

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta