Primeira mesquita feminina da Índia adere à energia solar


A mesquita de Ambar foi construída há exatos 20 anos na cidade de Lucknow, capital do estado de Uttar Pradesh, e tem desempenhado importante papel no entendimento da comunidade sobre os direitos das mulheres, facilitando o diálogo entre todos.

As mudanças climáticas também têm sido alvo da atenção de sua fundadora e colaboradoras. Por isso, para celebrar o aniversário da primeira mesquita feminina da Índia, de maneira especial, foram instalados painéis solares no telhado. Além da melhoria na qualidade do ar, a intenção é reduzir a pegada de carbono desse lugar sagrado.

“Nos últimos anos, a poluição do ar tem se agravado em Uttar Pradesh e as áreas rurais têm sofrido freqüentes cortes de energia. Todos nós temos que fazer a nossa parte para melhorar a qualidade do ar que respiramos e o acesso à eletricidade”, disse Shaista Amber, fundadora da mesquita. “Todos devem ter acesso a ar limpo e eletricidade limpa. A eletricidade produzida a partir da energia solar não causa poluição. Se todos começarem a usá-la, o ar irá melhorar”, completa.

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto IndiaSpend e a empresa de tecnologia Fourth Lion, há grande demanda por energia solar em Uttar Pradesh: 87% de seus eleitores disseram que optariam por energia solar para melhorar a qualidade do ar e reduzir a poluição. O estudo ainda revelou que os cortes de energia são constantes e são o maior problema para os eleitores, tanto urbanos, como rurais: diariamente, 38% sofrem com cortes diários e 54%, com cortes semanais, sendo que esses números representam 58% entre as mulheres, 59% dos eleitores rurais e 61% dos Dalits.

Mas ainda falta muito para o estado avançar. A empresa de análise financeira Equitorials produziu relatório que revela que esse estado indiano tem uma meta ambiciosa: a instalação de 1,8 GW de energia solar até o mês que vem, março. Mas, até agora, o estado adicionou 239MW de capacidade – ou seja, apenas 13,1% da meta. Embora existam 271MW de capacidade de energia solar adicional, que deverá entrar em operação até março, com essa adição, alcançaria apenas 510MW, que representa 28% da meta.

Enquanto isso, a primeira mesquita feminina do país dá o exemplo.

Foto: Reprodução

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Deixe uma resposta