Primavera chega quatro semanas antes em algumas regiões dos Estados Unidos

Primavera chega quatro semanas antes em algumas regiões dos Estados Unidos

Ainda estamos nos primeiros dias março e as flores já estão desabrochando em muitos lugares do Hemisfério Norte, onde a primavera só começa “oficialmente” no dia 20 de março. Apesar do colorido precoce das plantas e dos dias mais quentes serem celebrados pela maioria das pessoas, eles soam um alarme importante: há um possível desequilíbrio climático entre as estações do ano.

O problema dessa “falsa primavera”, provocada por invernos que tiveram temperaturas acima da média, é que ela pode “enganar” as plantas, pois ainda existe chance de eventuais ondas de frio e geadas.

Em 2017, quando algo parecido ocorreu, nas regiões centrais e sudeste dos Estados Unidos, muitas espécies desabrocharam prematuramente e quando o frio voltou de repente, plantações inteiras foram perdidas. A geada atingiu quase 90% do cultivo de pêssegos, na Carolina do Sul. Na cidade de Washington D.C., onde a florada das cerejeiras atrai milhões de visitantes e turistas, a festa perdeu grande parte de seu encanto: as flores!

Os danos econômicos naquele ano, com o prejuízo causado pela primavera antecipada e a volta do frio, chegaram a US$ 2 bilhões.

Outro problema proveniente da chegada de dias mais quentes, mais cedo, é o aumento dos riscos de proliferação de doenças e espécies invasoras. E não é só. O impacto pode se dar ainda sobre a migração e período de hibernação de animais.

Agora, em 2020, as temperaturas registradas na maioria dos estados americanos do sul e sudeste também têm sido atípicas. De acordo com a USA National Phenology Network, que usa modelos matemáticos de computador para estimar a data do início da primavera através do desabrochar das primeiras folhas e flores, em algumas localidades, como Washington D.C. e Nova York, a estação chegou 24 dias antes.

Outro modelo que se utiliza para estabelecer o momento exato em que a primavera dá seu ponta pé inicial é determinando a data do equinócio vernal, quando o o sol incide com maior intensidade sobre as regiões que estão perto da linha do Equador e a noite e o dia têm a mesma duração.

E este ano, segundo astrônomos, o equinócio da primavera acontecerá no dia mais cedo dos últimos 124 anos: em 19 de março, algo que não acontecia desde 1896.

Primavera chega quatro semanas antes em algumas regiões dos Estados Unidos, o mais cedo em 100 anos

Mapa mostra regiões dos Estados Unidos onde a primavera já é sentida

Um estudo divulgado, em janeiro, na revista ScienceAdvances associa mudanças climáticas, a chegada precoce da primavera em países do Hemisfério Norte com a ocorrência de verões mais quentes e a exacerbação da secura dos solos.

*Com informações do jornal The Washington Post e Farmers Almanac

Leia também:
O ‘novo normal’: chuvas intensas, enchentes, deslizamentos e mortes
Elevação do nível do mar pode provocar ‘desaparecimento’ de quase 50% das praias do planeta
Incêndios da Austrália destruíram 20% das florestas do país

Foto: domínio público/pixabay

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta