Portugal proíbe uso de animais selvagens em circos

Portugal proíbe uso de animais selvagens em circos

Em uma iniciativa muito comemorada por organizações de proteção animal, o parlamento português anunciou que circos estarão proibidos de utilizar animais selvagens, de 40 espécies diferentes, em seus shows.

Com a decisão, mais de 1 mil animais devem ser levados para refúgios de preservação, entre eles, leões, zebras, tigres, camelos e elefantes.

“Animais selvagens não pertencem em circos. As pessoas devem se divertir sem o sofrimento deles”, disse Bianca Santos, diretora de uma ONG, em entrevista à Agence France Presse.

A nova lei entrará vigor somente em 2024, para que até lá, os proprietários de circos tenham tempo de cadastrar os animais e fazer o encaminhamento para os locais determinados.

Em 2009, outra medida havia sido implementada para reduzir o sofrimento de animais em espetáculos. Na época, ficou banido o uso de grandes primatas – gorilas, chimpanzés e orangotangos -, nesses shows.

Como bem lembra a International Organization for Animal Protection, “animais não andam de bicicleta voluntariamente, não ficam de cabeça para baixo ou pulam através de argolas de fogo. Eles não fazem estes tipos de coisas e outras tarefas difíceis porque querem, mas porque têm medo de não fazer”.

Diversos outros países já baniram ou restringiram a presença de animais em shows de entretenimento, entre eles, Suécia, Irlanda, Escócia, Áustria, Costa Rica, Índia, Finlândia e Singapura.

Leia também:
Gigante do turismo para de vender pacotes para parques com orcas em cativeiro
Selfies com tigres podem financiar o tráfico de animais 

SeaWorld acaba com reprodução de baleias orca em cativeiro

Foto: TravelSwiss1/Creative Commons/Flickr 

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

2 comentários em “Portugal proíbe uso de animais selvagens em circos

  • 5 de novembro de 2018 em 12:30 PM
    Permalink

    Enquanto o ser humano for o explorador de qualquer ser vivo, em vão suplicará a Deus por paz e felicidade ainda que reze em todas as línguas e pronuncie o nome do Altíssimo em todos os idiomas, diante da Sua Justiça será sempre o devedor contumaz, desobediente e infrator, passível de receber as sanções cabíveis no quesito perversidade e perdoado somente após ressarcir todas as suas vítimas inocentes dos prejuízos, quiçá irreversíveis, causados pela sua obstinação no mal. Não apenas contra a Deus pecaram os exploradores de animais, também contra a Natureza, ao sequestrarem de seu habitat e arrastarem seres nativos da floresta para o castigo de fazer o que não querem, parecendo o que não são. Quem paga para aplaudir, igualmente é cúmplice da lambança, tem culpa no cartório, porque não desconhece que animais aprenderem truques em sessões de tortura física extrema, além da psíquica e espiritual, inenarráveis, porque foram zombados, escarneceram de sua dignidade, nobreza, moral e majestade transformando-os em palhaços e fantoches contra a vontade deles, à custa de seu suor e sangue. Em vão suplicarão a Deus por saúde e liberdade, os responsáveis humanos por esses crimes pois, não para impiedosos são as bem aventuranças, nem merecerão ser consolados, se chorarem; ou saciados se tiverem fome e sede, já que, se construíram o próprio inferno, o merecem habitar.

    Resposta
  • 5 de novembro de 2018 em 8:38 PM
    Permalink

    Acho uma vergonha só agora proibirem … acho que faz uns 20 anos que na Argentina foi proibido animais em circo!

    Resposta

Deixe uma resposta