Pesquisadores desenvolvem teste de sangue rápido e barato que detecta qualquer tipo de câncer

Pesquisadores desenvolvem teste de sangue rápido e barato que detecta qualquer tipo de câncer

O câncer continua sendo um dos principais desafios da medicina moderna. Ele é a segunda causa das mortes que acontecem no mundo anualmente, com 9,6 milhões de vítimas. Apesar de, quando detectado cedo, alguns tipos da doença terem tratamento e grandes chances de cura, em outros casos, ele pode ser extremamente agressivo e fatal.

Por isso mesmo, há tanta expectativa em relação às pesquisas realizadas na área oncológica. E uma delas, divulgada esta semana, pode salvar muitas vidas.

Cientistas da Universidade de Queensland, na Austrália, desenvolveram um teste de sangue, que tem o resultado revelado em apenas 10 minutos, e detecta a presença de células cancerígenas no corpo humano. Os pesquisadores se basearam em um pedaço de DNA específico, encontrado em todos os tipos de câncer.

“A principal vantagem da técnica é ser muito barata e extremamente simples, então pode ser adotada facilmente”, diz Laura Carrascosa, pesquisadora da universidade australiana, em entrevista ao jornal The Guardian.

Em pesquisas preliminares, o teste teve uma precisão de 90% na detecção de células malignas. Mas os cientistas explicam que, quando e se aprovado, ele seria o primeiro passo para uma investigação feita mais a fundo por um médico especialista.

A partir de agora, começará a fase de pesquisa clínica, que definirá a viabilidade e a confiabilidade do exame, envolvendo um número maior de pessoas e diferentes tipos de câncer.

Atualmente, o diagnóstico da doença é feito através de uma biópsia, que faz a retirada de uma parte de tecido do tumor. A esperança dos médicos é que haja um processo menos invasivo para a descoberta precoce do mal.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, aproximadamente 1/3 das mortes provocadas por câncer são causadas por cinco fatores de risco: alto índice de massa corpórea, consumo baixo de frutas e legumes, sedentarismo, ingestão de álcool e fumo. Este último, sozinho, é responsável por 22% de todos os óbitos relacionados à doença.

O novo teste pode trazer um grande auxílio, sobretudo, para populações de baixa renda. Em 2017, apenas 26% dos países em desenvolvimento declaravam ter serviços público de fácil acesso ao diagnóstico.

No mundo todo, o impacto econômico do câncer só aumenta: em 2010, ele foi de US$ 1,16 trilhão.

*Com informações da Universidade de Queensland

Leia também:
Proteína da semente de uma árvore brasileira inibe progressão do câncer de mama
Pesquisadores brasileiros criam biossensor de baixo custo que detecta câncer de pâncreas com maior precisão
Excesso de peso e obesidade respondem por 15 mil casos de câncer por ano no Brasil
Consumo de comida ultraprocessada é associado ao câncer, alerta estudo internacional
Campanha #BusqueVencer alerta sobre importância da informação de qualidade na luta contra o câncer 

Foto: domínio público/pixabay

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta