Pequeno roedor nativo da Grande Barreira de Corais, na Austrália, entra em extinção por causa das mudanças climáticas

Pequeno roedor da Grande Barreira de Corais entra em extinção por causa das mudanças climáticas

Ao deixarem de existir no planeta, espécies provocam duas grandes perdas: uma para a Biologia, porque levam com elas milhões de anos de evolução,  todo o seu genoma, para o esquecimento, e outra para seus ecossistemas, porque por menor que seja um animal ou uma planeta, elas têm uma função vital em seu habitat.

É por essa razão, que o governo da Austrália lamentou a extinção de um pequeno roedor, nativo de uma ilha na Grande Barreira de Corais. Estudos feitos em 2014 já apontavam o desaparecimento do mamífero, mas aguarda-se ainda maiores pesquisas para confirmar o fato.

O ratinho (Melomys rubicola ) era endêmico da ilha de Bramble Clay, ao noroeste de Queensland. Ele só era encontrado ali e em nenhum outro lugar do mundo. Seus primeiros registros são de 1800. Na década de 80 eles ainda eram vistos em abundância no local, mas dez anos depois, sua população começou a diminuir.

Em uma declaração oficial sobre espécies ameaçadas, a ministra do Meio Ambiente, Melissa Price, afirmou recentemente que o roedor está extinto.

Segundo os cientistas da Universidade de Queensland, os roedores morreram por falta de alimentos e abrigo. Ao longo dos últimos anos, devido ao aumento do nível dos oceanos, consequência do aquecimento global, a ilha de Bramble Clay foi sendo invadida pela água e com isso, a vegetação desapareceu. A pequena ilha fica a pouco mais de 2 metros acima do mar.

O ratinho é mais uma das muitas espécies que desaparece da Terra por causa da ação do homem. Nosso modo de vida no planeta afetou os seres que já existiam aqui, muito antes de nossa existência e agora, presenciamos, como os cientistas alertam, a nova grande era da extinção em massa.

Leia também:
Morre Lonely George: apenas um caracol, mas o último de sua espécie
Oito espécies que podem entrar em extinção já em 2019
Estado americano vai investir US$ 1 bilhão em programa para salvar baleias orcas da extinção
“Se não dermos um basta à perda da biodiversidade, poderemos enfrentar nossa própria extinção”, alerta ONU
Brasil tem sete espécies de árvores em risco de extinção
Uma em cada oito aves do planeta está em risco de extinção

*Com informações do The Washington Post

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta