#PenseDireitoNoSeuDireito: você quer mesmo ter uma arma de fogo em casa?

#PenseDireitoNoSeuDireito: você quer mesmo ter uma arma de fogo em casa?

Nos últimos dias, ficamos muito surpresas – e para ser sincera, assustadas -, aqui no Conexão Planeta, com a repercussão de um post que divulgamos. A jornalista Mônica Nunes fez uma matéria alertando sobre uma consulta pública tramitando no site do Senado. Ela trata de um Projeto de Decreto Legislativo (PDS) 175/2017, que defende a revogação do Estatuto do Desarmamento. Ou seja, seu fim (leia a reportagem completa aqui).

Um enorme número de leitores, revoltados com a atual falta de segurança no país (o que também nos choca), defendeu que todos os cidadãos deveriam andar armados e não apenas os bandidos.

Decidimos então nos aprofundar no assunto, já que para nós, a solução ideal não nos parece “armar” a população. Isso, sem dúvida nenhuma, pioraria ainda mais a situação e deflagraria um conflito civil sem precedentes nas ruas brasileiras e aumentaria o número de vítimas inocentes.

E em nossas pesquisas sobre o tema, nos deparamos com a campanha do Instituto Sou da Paz: #PenseDireitoNoSeuDireito.

De maneira bem humorada, a organização mostra, através de um vídeo, porque se armar não é a solução. E a prova disso está em estatísticas e dados de pesquisas:

– Sete em cada dez pessoas que reagem armadas a um assalto tomam um tiro, segundo a pesquisa “Também morre quem atira ”, publicada pelo Instituto Brasileiro de Ciências Criminais ou seja, reagir armado aumenta em 56% a chance da pessoa ser assassinada;

–  Analisando a quantidade de armas de fogo nos municípios brasileiros foi identificada uma correlação entre o aumento do número de armas de fogo e o aumento dos homicídios: a cada 1% no aumento  de armas de fogo, os homicídios sobem 2%;

– Estados onde o direito a portar armas foi flexibilizado apresentaram aumento da violência armada de 13 a 15% e, ao mesmo tempo, não tiveram redução dos crimes contra a propriedade (como roubos);

– Uma arma em contexto de violência doméstica aumenta em 500 vezes a chance de uma mulher ser vítima de homicídio;

– Armas de fogo favorecem o cometimento de suicídio por este ser um ato, na maioria das vezes, impulsivo. Ter à mão uma arma favorece a concretização deste impulso e sua alta letalidade reduz muito a probabilidade de sobrevivência.

Pela lei atual, os brasileiros podem comprar armas de fogo legalmente, desde que cumpram requisitos básicos como: ter ao menos 25 anos, não ter antecedentes nem estar respondendo a processo criminal, ser aprovado em um teste psicológico e de aptidão técnica, comprovar residência e renda e apresentar uma justificativa para o desejo de ter uma arma.

“O Instituto Sou da Paz defende a manutenção destas vendas com a atual regulamentação responsável por entender que são requisitos mínimos e condizentes com o potencial letal que uma arma de fogo carrega e com a alta violência do nosso país”, afirma Bruno Langeani, gerente de Sistemas de Justiça e Segurança Pública do Instituto Sou da Paz.

É por todas estas razões acima, que nós do Conexão Planeta, também defendemos a atual legislação.

Então, mais uma vez, convidamos você, a participar da consulta pública no site do Senado e votar NÃO para a proposta que defende a revogação do Estatuto do Desarmamento.

#PenseDireitoNoSeuDireito


Foto: reprodução Facebook do Instituto Sou da Paz

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Um comentário em “#PenseDireitoNoSeuDireito: você quer mesmo ter uma arma de fogo em casa?

  • 23 de outubro de 2018 em 7:54 PM
    Permalink

    Olá, boa noite, até onde sei a legislação não deve ser afrouxada em relação aos requisitos atuais, “Pela lei atual, os brasileiros podem comprar armas de fogo legalmente, desde que cumpram requisitos básicos como: ter ao menos 25 anos, não ter antecedentes nem estar respondendo a processo criminal, ser aprovado em um teste psicológico e de aptidão técnica, comprovar residência e renda e apresentar uma justificativa para o desejo de ter uma arma.” mas sim em relação à negativa velada praticamente automática ao pedido de registro que acontece hoje, mesmo preenchendo todos os requisitos da legislação muitos tem o pedido indeferido sem maiores explicações, eu acho válido ter uma arma em casa e a obrigação de ter capacidade técnica e psicológica para manuseá-la é imprescindível, penso ainda que se houver mesmo essa flexibilização a legislação pode ser mais dura para os crimes cometidos com uma arma registrada dentro do imóvel do proprietário, com exceção, claro, para confrontos entre moradores e invasores/assaltantes, pois aí se configura legítima defesa.

    Resposta

Deixe uma resposta