Peixes comprovadamente sustentáveis estarão no cardápio de restaurantes do Rio, Bahia e Pará neste verão

Peixes comprovadamente sustentáveis estarão no cardápio de restaurantes do Rio, Bahia e Pará neste verão

Sempre ouvimos falar que o peixe é um dos alimentos mais saudáveis da nossa dieta. Encontrado em abundância em rios e oceanos, ele faz parte de um estilo de vida sustentável. Certo? Nem sempre…

Nas últimas décadas, o ser humano retirou dos oceanos mais peixes do que deveria. É o que chamamos de “sobrepesca”. E aos poucos, o que antes acreditávamos ser abundante, deixou de ser. Muitas espécies estão ameaçadas de extinção.

Só no Brasil, capturamos mais de 536 mil toneladas de pescado marinho por ano. Infelizmente, segundo a organização ambiental Conservação Internacional (CI-Brasil), na grande maioria, a pesca no país é feita de forma não adequada, comprometendo espécies e o futuro das comunidades que dependem dessa atividade, algo em torno de 500 mil pessoas.

Criado em 2014, o Programa Pesca + Sustentável da CI-Brasil tem como objetivo incentivar práticas de manejo adequadas que conservem as espécies e o ecossistema. Nos últimos três anos, mais de 60 mil famílias de pescadores tradicionais foram beneficiadas pela iniciativa. “Identificamos e trabalhamos junto com comunidades que pescam de forma sustentável, e com vários restaurantes interessados em obter seus produtos. As cadeias produtivas incluídas no Pesca+Sustentável estão servindo como modelo para outras que querem seguir o mesmo caminho”, conta Rodrigo Medeiros, vice-presidente da organização. “Na próxima fase do programa, identificaremos parceiros de mercado que possam assumir a logística dos pescados e buscar sua sustentabilidade financeira”.

Só na região da Lagoa de Araruama, em São Pedro da Aldeia, a 120 Km do Rio, 600 famílias vivem da pesca da tainha. A atividade existe há mais de 300 anos e este é um dos pescados trabalhados no Pesca + Sustentável.

Para celebrar os três anos do programa, está sendo lançada uma temporada gastronômica com restaurantes parceiros no Rio de Janeiro, Pará e Bahia, que começa agora em dezembro e deverá ir até o final do verão.

Os restaurantes participantes (veja lista ao final deste post) terão em seus cardápios peixes, caranguejos e ostras comprovadamente sustentáveis, O consumidor saberá mais sobre o alimento que estará comendo ao acessar informações do pescado por meio do QR code que vem junto ao prato, como por exemplo, a origem, data da pesca e características da espécie. Com isso, será possível se deliciar com um peixe tendo a garantia de que ele foi retirado de seu habitat de maneira correta, sem prejudicar a espécie e o ecossistema.

TEMPORADA GASTRONÔMICA PESCA + SUSTENTÁVEL

RIO DE JANEIRO – capital

Charleston Bubble Lounge
R. Rodolfo Dantas, 26 A – Copacabana

Pratos: ceviche de tainha (cubos de tainha marinados em molho cítrico, cebola roxa, pimentão vermelho defumado, coentro e gergelim.), ovas de tainha (ova inteira, frita ou ao vapor, acompanhada de molho siciliano), tainha na escama (filé de tainha com escama grelhado em pedras vulcânicas acompanhado de aspargos grelhados, tomate confit e molho de ervas finas)

CABO FRIO – RJ

Bolsoni Le Monde
R. Barão do Rio Branco, 513
Prato: Ceviche de tainha

SÃO PEDRO DA ALDEIA – RJ

Pousada/restaurante/quiosque Xodó da Praia
Estrada do Boqueirão 4321 – Praia do Sudoeste
Prato: tainha na pedra

CANAVIEIRAS* – BAHIA

Cabana Olho do Sol – caranguejo com pirão, cabeça de robalo com pirão e vinagrete

Cabana Nativa – caranguejo e cabeça de robalo com pirão e vinagrete

Cabana do Rubens – cabeça de robalo com pirão e vinagrete, toque toque

Cabana e Restaurante Alegria de Viver – caranguejo com pirão e farofa, cabeça de robalo

Cabana O Tijolinho – caranguejo com pirão e farofa, caldo de caranguejo, moqueca a moda da casa, poãn de Caranguejo com peixe frito,pastel de Caranguejo, cabeça de robalo.

Restaurante Rosa Morena – caranguejo com pirão e farofa, cabeça de robalo

Sonho Dourado – Fritada de Caranguejo, cabeça de robalo, caranguejo com pirão, vinagrete e farofa

Cabana de Rocha – caranguejo com farofa e pirão

Cabana Salina Mar – Moqueca de caranguejo no coco, casquinho de caranguejo, cabeça de Robalo, caranguejo com pirão e farofa

Cabana Keitee – caranguejo com pirão e farofa

*Todas as cabanas estão situadas à avenida Beira Mar, Praia da Costa

Foto: domínio público/pixabay

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta