Pedal das Hortas: pedalada celebra criação da ‘União de Hortas Comunitárias de São Paulo’

As hortas comunitárias começaram a chamar a atenção dos paulistanos há mais ou menos oito anos. A mais famosa delas – a Horta das Corujas – foi criada em 2012, na Vila Madalena. Desde 2011, os integrantes do grupo Hortelões Urbanos no Facebook – de vários lugares do país -, já trocavam informações, ideias, sementes e se ajudam em qualquer questão para garantir a manutenção saudável de suas hortas.

Na capital paulista, as hortas comunitárias estão em praças e parques, canteiros de avenidas, espaços culturais. entre outros, e são mantidas por grupos de amigos, vizinhos e especialistas interessados em compartilhar saberes, aumentando a consciência sobre alimentação saudável – inclusive entre as crianças -, tornar esses alimentos acessíveis e ocupar/otimizar espaços públicos.

Com o tempo, os hortelões foram se organizando e criando formas mais eficientes de gerir suas hortas. No ano passado, alguns de seus guardiões começaram a se reunir de forma mais constante “para trocar experiências, fortalecer iniciativas mutuamente e batalhar por objetivos comuns, além de organizar ‘corres coletivos’ para arranjar insumos (mudas, serrapilheira, palha, adubo) para todas as hortas”, explica Claudia Visoni, uma das organizadoras.  E, daí, surgiu a ideia de criar uma União de Hortas Comunitárias de São Paulo.

Por ora, ela reúne 14 hortas, de várias regiões da cidade:
– Horta das Corujas (Vila Madalena)
– Horta do Centro Cultural São Paulo (CCSP)
– Horta das Flores (Mooca)
– Horta da Faculdade de Medicina da USP (Avenida Dr. Arnaldo)
– Horta da Saúde
– Horta da Nascente (Pompeia)
– Horta do Ciclista (Avenida Paulista)
– Horta do Areião (Barra Funda)
– Horta do Parque Linear Zilda Arns (Vila Ema)
– Batata Jardineiras (Largo da Batata)
– Horta da City Lapa
– Hortão da Casa Verde
– Horta da Praça Amadeu Decome (na Rua Cerro Corá) e
– Horta Madalena (Praça Jornalista Roberto Corte Real, Vila Madalena).

E, para celebrar mais este passo, o grupo está organizando uma pedalada no dia 4 de março – o Pedal das Hortas -, que percorrerá seis delas.

A largada será na Horta da Saúde, às 10h. A partir daí, os ciclistas passarão pela Horta do Centro Cultural (11h), na Horta do Ciclista (12h30, próxima do IMS), seguindo para a Horta da Faculdade de Medicina da USP (13h), na Avenida Dr. Arnaldo, onde farão uma pausa para o almoço. Em seguida, irão à Horta das Corujas (15h) e à horta do Largo da Batata (16h).

E quem não tem bike ou não gosta de pedalar? “É só aparecer nas hortas, nos horários marcados para nos encontrar e trocar ideias”, diz Claudia. “Praticamente, dá pra acompanhar todo o roteiro de metrô”.

SERVIÇO
PEDAL DAS HORTAS
Promovido pela União de Hortas Comunitárias de São Paulo

4 de março, das 10h às 16h
Informações: página do evento no Facebook

Foto: Divulgação

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta