Paulistas podem trocar geladeira velha por nova com desconto em programa de reciclagem

Paulistas podem trocar geladeira velha por uma nova com desconto em programa de reciclagem

Eletrodomésticos antigos podem pesar, e muito, na sua conta de energia elétrica. Geladeiras, aparelhos de ar condicionado, secadores de cabelo e chuveiros antigos, em geral, possuem uma demanda muito maior de eletricidade. Produtos mais novos têm uma eficiência energética maior e, com isso, um impacto menor sobre o orçamento mensal.

Em parceria com o portal Tudo Bônus, um programa da distribuidora Eletropaulo, em São Paulo, ajuda os clientes da empresa a fazer a troca de geladeiras ou ar condicionados velhos por novos com desconto. E garantem que o antigo seja reciclado de maneira correta, por uma empresa especializada, sem prejuízo ao meio ambiente.

Para participar, é preciso ser consumidor residencial localizado na área de atuação da Eletropaulo; ter a conta de energia em dia (últimos 12 meses) e possuir uma geladeira ou ar condicionado compatíveis com o tipo escolhido para doação. Os modelos disponíveis estão no site da promoção. O bônus pode chegar a até R$ 620,00. A compra pode ser parcelada em até 12 vezes e a entrega é feita dentro de 15 dias.

Além disso, os interessados devem fornecer também seis lâmpadas fluorescentes ou incandescentes, com potência mínima de 18W, em funcionamento. Eles receberão, junto com a aquisição da nova geladeira, seis lâmpadas LED gratuitamente (apesar de mais cara, lâmpadas LED têm vida mais longa e gastam menos energia).

O eletrodoméstico velho, doado pelo consumidor, será coletado no momento da entrega do novo.

Confira no regulamento as cidades onde a promoção é válida.

Em uma comparação, feita no site de preços Buscapé, os modelos oferecidos pela promoção se mostram realmente com um valor mais vantajoso. O Refrigerador Panasonic NR-BT42 INOX varia entre R$ 2 mil e R$ 2,8 mil, enquanto que se feito pela troca, ele sai por R$ 1,8 mil.

A iniciativa da Eletropaulo faz parte de um compromisso, estabelecido com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que determina que “as concessionárias e permissionárias de serviços públicos de distribuição de energia elétrica ficam obrigadas a aplicar, anualmente, um montante de sua receita operacional líquida em pesquisa e desenvolvimento do setor elétrico e em programas de eficiência energética no uso final”.

A previsão é que a iniciativa contemple a venda de 11 mil eletrodomésticos. Cada consumidor só poderá fazer a compra de uma geladeira ou ar condicionado.


*Pauta sugerida pelo leitor Leonardo Kroger. Obrigada! 


Foto: domínio público/pixabay

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta