Parque Marinho de Abrolhos inaugura trilha de mergulho noturno

O arquipélago de Abrolhos é um parque nacional marinho, situado no sul da Bahia, é composto por cinco ilhas. Algumas espécies de corais são endêmicas ali, ou seja, só existem lá e em nenhum outro lugar do planeta. Abrolhos abriga algumas das principais áreas-berçário de baleias jubarte, que migram para o local para se reproduzir.

Tartarugas marinhas ameaçadas de extinção, como as de couro, cabeçuda, verde e de pente, também se refugiam no parque, assim como aves como a grazina e os atobás. Estima-se que o arquipélago seja habitat de aproximadamente 1.300 espécies, 45 delas consideradas ameaçadas.

Agora, os visitantes desse paraíso natural, ganham uma nova atração: a trilha noturna subaquática do Chapeirão Mau-Mau.

“Chapeirões são formações recifais de rara beleza, só existentes em Abrolhos. Apresentam formato de cogumelo e chegam a medir 20 metros de altura e 50 metros de diâmetro no topo”, explicam os especialistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão responsável pela administração do parque nacional.

O percurso da trilha, que poderá ser feito à noite com mergulho autônomo, acompanhado por condutores, promete ser uma “experiência inédita e inesquecível”, garantem os guias e gestores do local.

“A trilha subaquática deve ajudar a conscientizar os visitantes sobre a diversidade de ambientes marinhos, ampliando o conhecimento sobre a fauna e a flora locais, em especial os chapeirões”, afirma Fernando Repinaldo Filho, chefe do parque. “Além disso, a ideia é aumentar a conscientização a respeito das melhores práticas de mergulho, com ênfase nos cuidados necessários para que essa atividade prazerosa de recreação na natureza seja aliada à conservação da natureza marinha”.

Atrações da trilha

Além dos dezesseis chapeirões e outras formações recifais de variados tamanhos e formas que compõem a trilha, os mergulhadores poderão ainda se deparar com anêmonas gigantes (Condylactis gigantea), animais de corpo mole que ficam grudados na superfície das rochas no fundo do mar, camarões-palhaço, esponjas coloridas, ouriços e estrelas-do-mar.

Anêmonas gigantes

Entre os peixes, destaque para as moreias, arraias, enxadas, xaréu, guarajuba, arabaiana, olho-de-boi e pampo.

A trilha subaquática de Abrolhos tem 140 metros de extensão, com 14 pinos instalados na areia, e cabos que interligam os pontos de interesse, guiando o trajeto e facilitando a interpretação de cada ponto com seus atrativos específicos.

O camarão-palhaço faz a limpeza de parasitas

Vale ressaltar que somente visitantes com credenciamento específico (certificado de mergulho noturno avançado ou superior) poderão fazer a trilha e precisarão estar em um grupo guiado pelas embarcações autorizadas para a visitação comercial do parque.

Nest link você encontra o Guia do Visitante, que oferece todas as informações para as pessoas interessadas em visitar o Parque Nacional Marinho de Abrolhos.  


*Com informações do Ministério do Meio Ambiente e do Parna Marinho dos Abrolhos

Fotos: divulgação ICMBio/Enrico Marcovaldi (abertura), James St. John/Creative Commons/Flickr (anêmona gigante) e wikimedia commons (camarão-palhaço)

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta