Paris vai ganhar sua primeira floresta vertical

Paris vai ganhar sua primeira floresta vertical

A capital da França vai abrigar mais um monumento arquitetônico. Mas desta vez, é um monumento à arquitetura sustentável. O prédio Forêt Blanche (Floresta Branca, na tradução para o português) terá 54 metros de altura, toda a estrutura em madeira e na fachada, duas mil árvores, árbustos e plantas.

Idealizada pelo arquiteto italiano Stefano Boeri, famoso por suas obras sustentáveis e focadas no chamado “green building”, a floresta vertical francesa está praticamente pronta em Villiers sur Marne, na área metropolitana de Paris.

A vegetação na fachada do edifício terá o equivalente a um hectare de floresta, dez vezes mais a área sobre a qual o prédio foi construído.

Os andares superiores serão reservados para apartamentos residenciais, já escritórios comerciais e lojas ficarão nos pisos mais baixos e uma mistura de terraços e sacadas tomarão as laterais.

Nas laterais, 2 mil árvores, arbustos e plantas

O prédio foi concebido de tal maneira que as fachadas leste e oeste permitam a passagem da luz do sol e do vento durante o dia todo, minimizando assim a necessidade do uso de iluminação artificial e ar-condicionado.

A região de Marne está passando por uma revitalização urbana. Além do Fôret Blanche, outras onze construções estão sendo erguidas na área – todas elas com foco na inovação e sustentabilidade. A ideia é criar um “hub metropolitano”, com fácil acesso a Paris através do transporte público, mas oferecendo melhor qualidade de vida.

Além do projeto da floresta vertical, Stefano Boeri também idealizou o La Cour Verte para o local. O espaço verde fica no centro de um edifício, com um jardim de 600 m2 .

O jardim também foi concebido por Boeri para Villiers sur Marne 

Recentemente, mostramos em outra reportagem no Conexão Planeta, outro projeto do arquiteto italiano, a cidade floresta na China, que terá 40 mil árvores e 1 milhão de plantas (leia mais aqui).

Uma das obras mais conhecidas de Boeri é a Floresta Vertical de Milão. Inaugurado em 2014, o prédio residencial, com duas torres, possui cerca de 800 árvores, 4.500 arbustos e 15 mil plantas no entorno da fachada.

Para o arquiteto, a arquitetura deve rumar para uma nova fase, que inclua o componente vegetal como um elemento essencial, indo além do conceito de verde como apenas simples decoração. Segundo ele, projetos arquitetônicos devem ajudar a enfrentar o desafio de combater as mudanças climáticas, além de estimular o aumento da biodiversidade em centros urbanos.

Imagens: divulgação Stefano Boeri

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta