Paris, Madrid, Cidade do México e Atenas dão adeus a carros à diesel

Paris, Madrid, Cidade do México e Atenas dão adeus a carros à diesel

Reunidos na Cidade do México durante a Conferência C40 Cities, na semana passada, prefeitos de quatro das maiores cidades do mundo anunciaram que vão proibir a circulação de veículos movido a diesel nas áreas centrais a partir de 2025. Diesel é um dos combustíveis fósseis mais poluentes que existe. Sua queima libera gases tóxicos, que além de piorarem o aquecimento global, fazem muito mal à saúde humana.

O C40 Cities Climate Leadership Group é uma rede de megacidades comprometida com os desafios envolvidos nas mudanças climáticas globais. Entre os membros do grupo estão as cidades brasileiras de Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. “Prefeitos já concordaram que as mudanças climáticas são o maior desafio que enfrentamos”, afirmou Anne Hidalgo, prefeita de Paris. “Agora, nos unimos novamente para dizer que não iremos mais tolerar a poluição e todos os problemas de saúde e mortes que ela causa, principalmente aos cidadãos mais vulneráveis”.

Um relatório divulgado em setembro pela Organização Mundial da Saúde (OMS) mostrou que 3 milhões de pessoas morrem, por ano, por causa da poluição. Ainda de acordo com especialistas, 92% da população mundial vive em lugares onde a qualidade do ar está abaixo do recomendado (leia matéria completa aqui).

Apesar da boa notícia dada pelos prefeitos de Madrid, Atenas, Paris e Cidade do México, ambientalistas criticam a data de implantação (convenhamos, em nove anos?!). “A iniciativa mostra que líderes ao redor do mundo estão acordando para os efeitos nocivos provocados pelo diesel em nossa saúde. Mas 2025 é um tempo muito longo ao considerarmos que 467 mil mortes prematuras são causadas anualmente pela poluição do ar na Europa”, destacou Alan Andrews, da ONG ClientEarth, em entrevista ao jornal The Guardian.

Outras capitais já se comprometeram com medidas mais rápidas e eficientes para acabar com a poluição em suas cidades. Oslo, por exemplo, anunciou que o  centro se tornará uma zona livre de veículos a partir de 2019. Na Holanda, há um projeto de lei em tramitação que, se aprovado, estipula que a partir de 2025, somente poderão ser vendidos naquele país carros novos elétricos.

E no Brasil? O que nossos prefeitos estão fazendo sobre o problema? Nosso país está entre os 15 onde mais pessoas morrem devido à poluição do ar. Foram 26.241 óbitos no ano de 2012, segundo a OMS.

Cabe a nós, cidadãos, pressionarmos governos a tomar uma decisão firme sobre o problema!

Leia também:
Carros a diesel, não! 
Aumentam índices de poluição no mundo todo, alerta OMS

Um purificador de ar gigante para combater a poluição das cidades
Alerta máximo para poluição em Pequim
Poluição do ar mata mais que malária e HIV juntos, indica estudo

Foto: Mike Norton/Creative Commons/Flickr

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Um comentário em “Paris, Madrid, Cidade do México e Atenas dão adeus a carros à diesel

Deixe uma resposta