Pará ganha quatro novas Unidades de Conservação

para-ganha-quatro-novas-unidades-conservacao-800

Uma ação governamental a ser celebrada esta semana: o governo do Pará oficializou na segunda, 20/06, a criação de quatro novas Unidades de Conservação no estado. UCs, esta é a sigla para elas, são áreas de proteção ambiental, que têm como principal objetivo preservar e conservar espécies da fauna e flora, habitats e ecossistemas, como também a exploração sustentável de recursos pela população local.

As quatro novas Unidades de Conservação paraenses são o Refúgio de Vida Silvestre (REVIS) Tabuleiro do Embaubal, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel, localizadas no município de Senador José Porfírio, e a RDS Campo das Mangabas e REVIS Padre Sérgio Tonetto, ambas situadas no município de Maracanã.

A região, que a partir de agora passa a ser protegida, possui ecossistemas de praia, várzea e igapó. Além disso, nela vivem espécies ameaçadas de extinção, migratórias e endêmicas, daí a importância vital de sua preservação.

Há na área uma vasta diversidade de quelônios, as chamadas tartarugas amazônicas. Tabuleiro do Embaubal, por exemplo, é um dos maiores locais de desovas da espécie na Amazônia. A reserva é composta por dezenas de ilhas cobertas com vegetação nativa, com poucas casas de ribeirinhos, em um trecho em que o Rio Xingu se alarga, apresentando águas calmas e limpas. Espécies de boto, peixes-boi, jacarés e aves aquáticas são constantes por ali.

As siglas que acompanham o nome das reservas se referem às categorias a que elas pertencem: “Refúgio de Vida Silvestre” é recomendada para espécies que tenham seu local de reprodução ameaçado e se destina à proteção da biodiversidade encontrada na região. Já “Reserva de Desenvolvimento Sustentável” é uma zona do entorno do refúgio de vida silvestre e reúne as ilhas do rio Xingu, assim como parte da comunidade que vive à beira do rio e desenvolvem a pesca como principal atividade econômica.

O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) ficará responsável pela administração das novas UCs, mas contará também com um conselho composto por representantes de órgãos públicos e organizações da sociedade civil.

“Queremos criar condições de infraestrutura para a efetivação de projetos de manejo de recursos naturais com o intuito de produzir e difundir o conhecimento tradicional, o turismo ecológico e a educação ambiental, trazendo para as populações locais alternativas de renda e maior conscientização na conservação do meio ambiente”, afirma Crisomar Lobato, diretor de Gestão de Biodiversidade do Ideflor-Bio. “Nas unidades de proteção integral o objetivo principal é garantir a proteção da biodiversidade por meio da evolução da flora e da fauna no seu interior, visando, principalmente, os estudos e a pesquisa científica”.

Pará ganha quatro novas unidades de conservação

Fonte e fotos: divulgação Agência Pará 

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta