Países escandinavos estão no topo de ranking global que analisa performance ambiental

Países escandinavos estão no topo de ranking global que analisa performance ambiental

Finlândia, Islândia, Suécia (na foto acima) e Dinamarca são os quatro países que lideram o Environment Performance Index 2016, levantamento realizado por uma série de institutos internacionais e que foi lançado há 15 anos pelo Fórum Econômico Mundial.

Este ano foi avaliada a performance de 180 países. Todos os dez primeiros colocados estão situados na Europa. O Brasil está em 46º lugar. As últimas posições do ranking ficaram com Afeganistão, Nigéria, Madagascar, Eritrea e Somália.

Os pesquisadores analisaram questões ligadas à nove categorias: impacto sobre a saúde; qualidade do ar; água e saneamento; recursos hídricos, biodiversidade e habitat; agricultura, florestas; pesca e clima e energia.

O principal objetivo do estudo é identificar os avanços destes países para proteger a saúde da população e a preservação de seus ecossistemas. O ranking conta com a participação de pesquisadores da Yale University, Columbia University, Samuel Family Foundation, McCall MacBain Foundation e o Fórum Econômico Mundial.

A avaliação do estudo é que há um grande progresso global em alguns setores, mas em outros, a situação piorou. Apesar de haver maior investimento e consequente, melhora, em áreas como impactos à saúde e acesso à água potável e saneamento básico, o resultado do levantamento preocupa os pesquisadores em quesitos como qualidade do ar, pesca e indicadores de intensidade de carbono (CO2).

Isto é visto de maneira mais evidente em países da Ásia. Como a região atravessa um período de desenvolvimento econômico acelerado, muito tem sido feito para levar até a população melhores condições sanitárias. Todavia, este mesmo progresso econômico , que impulsiona a produção industrial, tráfego de veículos e transporte pesado, traz com ele o aumento da poluição do ar e da emissão de gases de efeito estufa na atmosfera.

A poluição do ar é hoje um problema de saúde global. China e Índia aparecem como tendo a pior situação, mas muitos outros países sofrem com a péssima qualidade do ar. Segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de 3,5 bilhões de pessoas, ou seja, mais da metade da população mundial, vivem em nações onde a exposição média à micropartículas tóxicas no ar excede o recomendado pelos especialistas.

Outros fatores que chamaram a atenção no Environment Performance Index 2016 é o monitoramento do meio ambiente. Quando ele não é feito de maneira sistemática e utilizando-se métricas reconhecidas pela ciência, os impactos são sentidos não somente pela natureza, mas pela população local.

Confira abaixo os países que aparecem nas primeiras posições no Environment Performance Index 2016:

1           Finlândia     

2          Islândia        

3          Suécia

4          Dinamarca

5          Eslovênia

6          Espanha

7          Portugal

8          Estônia

9          Malta

10        França

11         Nova Zelândia

12        Reino Unido

13        Austrália

14        Singapura

15        Croácia

16        Suíça

17        Noruega

18        Áustria

19        Irlanda

20       Luxemburgo

46       Brasil

Leia também:
Aumentam índices de poluição no mundo todo, alerta OMS
Um purificador de ar gigante para combater a poluição das cidades
Alerta máximo para poluição em Pequim
Poluição do ar mata mais que malária e HIV juntos, indica estudo

Foto: domínio público/pixabay

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Países escandinavos estão no topo de ranking global que analisa performance ambiental

Deixe uma resposta