Os primeiros passos da filhote de urso polar no zoológico da Alemanha

urso-polar-zoo-alemanha-800

Não há como não se encantar com a imagem acima. Ela é simplesmente adorável. A filhote de urso polar nasceu em dezembro de 2015. Agora, ao completar 3 meses, o Zoo Am Meer, zoológico localizado na cidade de Bremerhave, na Alemanha,  acaba de divulgar em sua página no Facebook as fotos da pequena fêmea, ao lado da mãe.

As imagens mostram a filhote sempre buscando a proteção da mãe, Valeska. Ursos polares são nativos das regiões árticas do Hemisfério Norte. Costumam viver em ilhas, áreas costeiras e em plataformas de gelo, desprendidas de geleiras. Precisam estar próximos da água, pois se alimentam basicamente de peixes, focas e carcaças de baleias.

Infelizmente, esta linda espécie do mundo animal está ameaçada. O crescimento das atividades humanas no Ártico, sobretudo a exploração de petróleo, mas também o aquecimento global, que provoca o derretimento das geleiras na região, tem contribuído para a redução do habitat do urso polar.

filhote de urso polar

A pequena e encantadora filhote de urso polar do Zoo Am Meer, na Alemanha

Como estes animais vivem em áreas distantes e remotas, onde o acesso é difícil e caro, o monitoramento e a pesquisa sobre a espécie não são fáceis. O último levantamento feito pela International Union for Conservation of Nature estima que existam hoje aproximadamente 26 mil ursos polares no planeta. Cerca de 60% deles estão localizados no Canadá e os demais no Alaska, Rússia, Groelândia e Noruega.

Segundo a organização Polar Bear International, se as previsões feitas por cientistas sobre o derretimento de gelo no Ártico se confirmarem, até o final deste século, 2/3 da população de ursos polares do mundo pode desaparecer.

Apesar de muitas pessoas criticarem a presença de animais, como o urso polar, em zoológicos, estes lugares são importantes centros de estudos para diversas espécies. É somente nestes locais que os pesquisadores conseguem identificar, por exemplo, que tipos de sons os ursos escutam, que barulhos os incomodam ou que cheiros o estimulam ao acasalamento. São conhecimentos que seriam impossíveis de serem adquiridos no habitat natural deles.

Abaixo segue um vídeo produzido pelo Greenpeace Internacional que mostra o que está acontecendo no fundo do Oceano Ártico:

//

The Little ExplorerWATCH: A child’s dream becomes real… Perhaps a bit too real? Something’s happening at the bottom of the Arctic ocean. Follow our little explorer and find out for yourselfAdd your name to the thousands who have already signed up to protect this pristine region >> http://grnpc.org/IgNrF

Posted by Greenpeace International on Tuesday, March 8, 2016

 

Foto: divulgação Zoo Am Meer

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta