Ônibus de Singapura ganham ‘telhados’ verdes

Garden on the Move. Em português, Jardins em Movimento. Este é o nome do projeto piloto implementado em Singapura, que pretende avaliar os benefícios de se ter vegetação sobre os tetos dos ônibus públicos da cidade.

Durante três meses, dez ônibus circularão pela cidade com os jardins sobre rodas. O projeto, coordenado pela GWS Living Art, especializada em estruturas e telhados verdes, instalou módulos que medem cerca de 1,8 m por 1,05 m e pesam 40 kg sobre os veículos. As plantas escolhidas foram suculentas, que não necessitam de terra, nem irrigação.

O objetivo do experimento é analisar se a presença de vegetação sobre o teto dos ônibus consegue reduzir a temperatura interna do ônibus e assim, diminuir a quantidade de combustível utilizado para o funcionamento do ar-condicionado ou mesmo, evitar seu uso.

Ar mais puro e menos calor

O impacto de telhados verdes em locais ‘mais tradicionais’ já é bem conhecido. Além de reduzir a temperatura nas cidades, já que plantas absorvem a luz que seria transformada em calor, eles liberam vapor d’água e ajudam a melhorar a qualidade do ar.

Os ônibus com telhado verde fazem parte de projeto piloto de três meses

A vegetação nos telhados também é importante para cortar os custos com energia, já que auxilia termicamente as construções e reduz a necessidade do uso de aparelhos de ar condicionado. Segundo um estudo publicado pelo National Research Council of Canada, a instalação de telhados verdes pode cortar em até 75% os gastos com energia em prédios.

Singapura mais verde

O governo de Singapura implementou ainda outras medidas para tornar a cidade-estado mais ecológica. Elas fazem parte do Green Mark Scheme, um plano lançado em 2005, para impulsionar o setor da construção civil a ser mais sustentável. Entre as metas está a que todos os edifícios tenham certificação de construção verde até 2030.

Outro projeto que ganhou repercussão internacional foi a inauguração, há quatro anos, do Gardens by the Bay, um parque de 100 hectares, ao lado da baía, onde foram plantadas espécies de plantas do mundo todo. Ao longo desse jardim botânico, foram erguidas gigantescas árvores artificiais, que durante a noite, são iluminadas por painéis solares.

O impressionante Gardens By the Bay

Assim como outras cidades do mundo, a população de Singapura sofreu com ondas recordes de calor recentemente. Nos últimos 25 anos, foram registrados os 10 anos mais quentes da história do país.

A expectativa é que a presença maior de espaços verdes não só ajude no clima, mas seja um elo de ligação entre comunidades e ajude na preservação da biodiversidade.

Leia também:
NY vai investir US$106 milhões em telhados verdes e plantio de árvores para combater o calor   
Fazendas urbanas se espalham pelos telhados de Nova York e Chicago
Todas as paredes podem ser vivas com o concreto verde
Escolas verdes: alunos mais saudáveis e notas melhores
Chile tem segunda maior frota de ônibus elétricos do mundo
Curitiba fará teste com ônibus movido a biometano, produzido a partir do lixo orgânico

Fotos: divulgação

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta