Nove brasileiras estão na lista da BBC das 100 mulheres mais inspiradoras e influentes do mundo

brasileiras na lista BBC 100 Women

Foi anunciada ontem (28/09) a lista com os nomes das escolhidas pela rede britânica BBC como sendo as 100 Mulheres Mais Inspiradoras e Influentes de 2017. E este ano, o Brasil fez bonito! Ou melhor, as brasilerias. Nada menos que nove delas estão no ranking, a maioria, na área esportiva.

Aqui estão elas:

Adriana Behar – ex-jogadora de vôlei de quadra, medalhista olímpica e bicampeã mundial, foi diretora de planejamento esportivo do Comitê Olímpico Brasileiro em 2016;

Ana Luiza Santos de Andrade – a jovem de 12 anos, começou a jogar futebol aos quatro e sonha com o dia em que haverá igualdade de gêneros nos esportes;

Beatriz Vaz e Silva – jogadora da Seleção Brasileira Feminina de Futebol;

Claudianny Drika – treinadora do time de futebol de uma favela do Rio de Janeiro;

Fernanda Nunes – campeã do remo nas competições pan-americana, sul-americana e latino-americana;

Luiza Travassos – a estudante de 13 anos é uma blogueira e jogadora de futebol;

Maira Liguori –  fundadora da Think Olga, ONG criada em 2013, que luta contra o assédio feminino e busca dar maior visibilidade e empoderamento às mulheres;

MC Soffia – a rapper canta desde os seis anos sobre racismo e direitos dos negros;

– Nora Ronai – vencedora de seis medalhas de ouro de natação no Masters World Championships em Montreal, no Canadá, em 2014.

O ranking BBC 100 Women foi criado em 2013, quando foi ao ar na Inglaterra, uma série que discutia o papel da mulher no século XXI e as dificuldades e batalhas enfrentas por elas no mundo inteiro.

Desde então, sempre no mês de outubro, a rede inglesa faz o ranking internacional, com temas diferentes a cada ano. Em 2016, o escolhido foi Desafio e havia uma brasileira somente na lista, a jogadora de futebol Marta Silva.

Em 2017, estão sendo abordadas quatro temáticas: Teto de Vidro (São Francisco, Estados Unidos), Analfabetismo Feminino (Delhi, Índia), Assédio na Rua (Londres, Inglaterra) e Sexismo no Esporte (Rio de Janeiro). Cada um destes assuntos será discutido mais profundamente nestas cidades.

“Em 2015, mulheres participaram de mais de 150 debates, em dez línguas, em 30 países. Em 2016, o nome de 450 mulheres inspiradoras foi adicionado à Wikipedia”, revela Fiona Crack, editora do 100 Women.

As oito brasileiras compõem uma lista que inclui, entre outras mulheres, a presidente do Chile Michelle Bachelet e a astronauta da Nasa Peggy Whitson. Até agora, só foram divulgados os nomes de 60 selecionadas. As demais 40 serão anunciadas nas próximas semanas, quando a história de todas estas mulheres – batalhadoras e fontes de inspiração – serão contadas pelas BBC. Além disso, elas serão unidas em times para apresentar soluções e novas ideias.

O objetivo é que ao falar sobre os desafios enfrentados, estas mulheres sirvam de exemplo para milhões de outras, que ainda hoje, sofrem com desigualdade, violência, discriminação e assédio.

Fotos: divulgação BBC

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta