Nãnan Matos batuca, dança e canta a cultura afro-brasileira

Nãnan Matos batuca, dança e canta a cultura afro-brasileira

Nãnan Matos nasceu em Brasília e desde criança ouvia os cantos do terreiro de candomblé que a família freqüentava. Queria, mas por causa da tradição não podia, tocar o atabaque (só os homens tocam a percussão). Isso não a impediu, de praticar a música em casa, em festas ou em lugares que a quisessem ouvir. Cresceu e abraçou a arte como profissão.

Ela ama ser negra e ter nascido no Brasil, mas reconhece que é difícil ser uma negra nascida no Brasil. Talvez por isso, viaje pelo país pra mostrar um pouco da cultura afro-brasileira. Agora pode batucar, dançar, cantar e dividir histórias do povo negro em oficinas que organiza.

A principal bandeira que Nãnan Matos carrega é que precisamos conhecer o passado porque só assim teremos o entendimento do presente e da autoestima pessoal.

Com ar aparentemente frágil, Nãnan ocupa os espaços com sua voz forte, dignidade e carisma. E vai plantando um pouquinho mais de Brasil por onde passa. Esta guria vai longe!



Fotos: divulgação/Christian Frutuoso (abertura) e Patricia Soransso

Herivelto Oliveira

Jornalista há 30 anos, é formado em Comunicação Social na Universidade Federal do Paraná. Em 1986, começou a carreira em televisão, primeiro como repórter e mais tarde, editor e apresentador. Trabalhou nas Redes Globo e Record. Em 2015, montou sua própria empresa, a Sobrequasetudo Comunicação e Arte, especializada em media training. Em 2017, criou o Brasil de Cor, um canal para dar oportunidade e visibilidade a negros brasileiros

Deixe uma resposta