Obama doa 500 milhões de dólares para fundo de mudanças climáticas

Obama doa 500 milhões de dólares para fundo de mudanças climáticas

Três dias antes de passar a administração dos Estados Unidos para o presidente eleito Donald Trump, Barack Obama anunciou que o governo está investindo mais 500 milhões de dólares no Green Climate Fund, um fundo internacional criado pelas Nações Unidas que pretende arrecadar 100 bilhões de dólares por ano, até 2020, para ajudar países pobres a se adaptar e enfrentar os efeitos das mudanças climáticas, reduzir emissões de gases de efeito estufa e investir em energias renováveis.

O fundo verde, financiado por nações ricas e iniciativas privadas, é vital para que seja colocado realmente em prática o Acordo de Paris, tratado firmado, em 2015, pelas economias mais importantes do planeta para tentar frear o aumento da temperatura global abaixo de 2ºC.

Os Estados Unidos se comprometeram a doar 3 bilhões de dólares para o Green Climate Fund. Até agora, o país norteamericano investiu somente 1 bilhão. No final do ano passado, mais de 100 organizações ambientais e 70 mil pessoas se uniram numa campanha para pressionar Obama a transferir os recursos ainda devidos.

Os fundos foram retirados do orçamento de 2016 do Departamento de Estado, o mesmo órgão que transferiu os 500 milhões de dólares iniciais.

O investimento anunciado poucos dias antes de Donald Trump assumir o governo irritou os republicanos. Durante sua campanha, o presidente eleito – um cético declarado das mudanças climáticas -, chegou a insinuar que tentaria tirar os Estados Unidos do Acordo de Paris. Por esta razão, muitos acreditam que dificilmente ele irá investir mais dinheiro no fundo verde.

Leia também:
Em discurso de despedida, Obama faz novo alerta sobre mudanças climáticas
2016 foi o ano mais quente da história!
Repercussão da eleição de Trump, na conferência do clima
Leonardo DiCaprio entrega a Trump plano para criação de milhões de empregos verdes


Foto: reprodução Facebook Barack Obama

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta