O que uma supertrilha pode fazer pelo Rio de Janeiro

Desde 2012, algumas áreas da cidade do Rio de Janeiro estão mudando. Mas não estamos falando das alterações realizadas para a Copa do Mundo de 2014, ou dos projetos em curso para as Olimpíadas deste ano. Nem de obras monumentais. Estamos falando da Trilha Transcarioca, que cruzará o Rio de Janeiro num percurso de aproximadamente 180 km, da Barra de Guaratiba até o Morro da Urca, aos pés do Pão de Açúcar.

Cerca de 100 km já estão prontos, e podem ser percorridos por quem quiser explorar as maravilhas do Rio. Só dentro do Parque Nacional da Tijuca há 50 km sinalizados – o que dá uma média de 4 dias de caminhada. Quando completa, a Transcarioca levará cerca de 20 dias para ser percorrida.

A paisagem é espetacular, mas não é só por causa das novas panorâmicas da cidade que a Transcarioca é uma ótima iniciativa. Listamos quatro outros benefícios que a sua implantação já tem trazido (ou trará) para o Rio de Janeiro – e para o país:

A criação de um novo corredor ecológico

Está em discussão na Câmara Municipal do Rio de Janeiro a criação da Área de Proteção Ambiental Municipal Corredor Ecológico Trilha Transcarioca. Essa nova APA asseguraria a proteção das áreas que estão fora das unidades de conservação já existentes, e permitiria que os animais terrestres pudessem se deslocar entre os maciços da Pedra Branca e da Tijuca.

A promoção de todos os parques da região

Quando completa, a Trilha Transcarioca integrará seis unidades de conservação: Parque Natural Municipal de Grumari, Parque Estadual da Pedra Branca, Parque Nacional da Tijuca, Parque Natural Municipal da Catacumba, Parque Natural Municipal da Paisagem Carioca, Monumento Natural Municipal dos Morros do Pão de Açúcar e da Urca.

Praias, manguezal, costões, trilhas, mirantes e até atrações históricas podem ser encontrados ao longo da trilha. “Particularmente, acho bem interessante o trecho inicial, perto do Parque Municipal de Grumari. Dentro do Parque Nacional da Tijuca, gosto dos trechos Alto da Boa Vista e Solar da Imperatriz”, revela Ernesto de Castro, diretor do Parque.

O Parque da Tijuca é a grande estrela do Rio de Janeiro, recebendo mais de 3 milhões de visitantes por ano, mas as outras unidades também guardam muitas belezas naturais. É o caso do Parque Estadual da Pedra Branca, na zona oeste da cidade, que abrange 17 bairros cariocas – é a maior área de floresta urbana do mundo, com mais de 12 mil hectares de Mata Atlântica.

Geração de renda para as comunidades do entorno

A Transcarioca é considerada uma trilha de longo curso, ou seja, que precisa de vários dias ou semanas para ser percorrida integralmente. Ela foi idealizada por Pedro da Cunha e Menezes em seu livro Transcarioca: todos os passos de um sonho (2000). Pedro estudou exemplos bem-sucedidos de trilhas de longo curso em todo o mundo, como a Appalachian Trail (EUA), Huella Andina (Argentina) e Araroa Trail (Nova Zelândia).

O caminho, que pode ser percorrido por trechos ou de uma só vez, pede uma logística de pernoites, alimentação e transporte, o que proporciona para as comunidades do entorno novas oportunidade de geração de renda.

Um estudo sobre essas potencialidades já foi feito em parceria com o Sebrae, e está em discussão com algumas comunidades. “A trilha é um organismo vivo que quer contar com a simpatia de todos. Se for um empecilho para alguma comunidade, nós vamos fazer um novo traçado”, diz Marco Antoneli, secretário executivo do Mosaico Carioca, canal que integra as unidades de conservação do Rio.

O trabalho conjunto entre governo, ONGs e sociedade civil

A Trilha Transcarioca é produto do empenho de diferentes esferas de governo, mas tudo é feito em conjunto com a sociedade. “Considero uma trilha de integração, que une União, Estado e prefeitura em prol desse projeto-piloto, administrado e tocado principalmente por voluntários. É um projeto-cidadão, e é essa adesão de quase 8 mil pessoas, envolvidas direta ou indiretamente, que faz o sucesso da Transcarioca”, diz Marco Antonelli.

Você também pode entrar no projeto, participando dos mutirões. De acordo com o Mosaico Carioca, o site oficial da Trilha deve ser lançado em março. Enquanto ele não entra no ar, é possível acompanhar as notícias e fazer contato através da página do facebook ou do site do Mosaico.

Você já fez algum trecho da Trilha Transcarioca? Conta pra gente nos comentários como foi a sua experiência!

Traçado da Trilha Transcarioca (Foto: Divulgação/Mosaico Carioca)

Fotos:
Pedra do Quilombo, no Parque Estadual da Pedra Branca (Foto: Felipe Tubarão/Inea)
Vista de parte do trajeto da Trilha, até o Pão de Açúcar (Foto: Divulgação/Mosaico Carioca)

Viajar pode fazer mais. Por você e pelos lugares que visita. Este é o lema da Associação Garupa, Organização Social de Interesse Público (OSCIP) que trabalha com o turismo sustentável como ferramenta para promover distribuição de renda e preservação de riquezas naturais e culturais do Brasil. A Garupa atua no apoio a comunidades e iniciativas em três frentes: por meio de consultoria para campanhas de crowdfunding, da realização de Expedições Garupa ou da divulgação de experiências sustentáveis através do Guia do Brasil Autêntico.

Na Garupa

Viajar pode fazer mais. Por você e pelos lugares que visita. Este é o lema da Associação Garupa, Organização Social de Interesse Público (OSCIP) que trabalha com o turismo sustentável como ferramenta para promover distribuição de renda e preservação de riquezas naturais e culturais do Brasil. A Garupa atua no apoio a comunidades e iniciativas em três frentes: por meio de consultoria para campanhas de crowdfunding, da realização de Expedições Garupa ou da divulgação de experiências sustentáveis através do Guia do Brasil Autêntico.

4 comentários em “O que uma supertrilha pode fazer pelo Rio de Janeiro

  • Pingback:O que uma supertrilha pode fazer pelo Rio de Janeiro | Além da Mídia

  • 20 de janeiro de 2016 em 3:44 PM
    Permalink

    Que massa, torcendo por este projeto. Ainda temos muito a evoluir e investir em turismo aqui no Rio, cidade que tem potencial de ser uma das mais, se não a cidade mais visitada do mundo. Quem sabe um dia…

    Resposta
    • 21 de janeiro de 2016 em 5:17 PM
      Permalink

      Nós também estamos torcendo muito! :)

      Resposta
  • 25 de janeiro de 2016 em 4:29 PM
    Permalink

    Deixo para os cariocas que moram no RJ darem sua opinião, mas os amante da natureza acredito que vão gostar bastante e torcerão para dar certo. Amo meu Rio de janeiro

    Resposta

Deixe uma resposta