O que Game of Thrones tem a ver com as mudanças climáticas? Tudo!

O que Game of Thrones tem a ver com as mudanças climáticas? Tudo!

O mundo fictício, fantástico e sangrento do seriado Game of Thrones, com milhões de fãs ao redor do planeta, é um estrondoso sucesso. Ao longo de suas sete temporadas conquistou nada menos do que 47 Emmys, o mais importante prêmio da televisão americana.

Mas o que a série baseada nas histórias dos livros de George R.R. Martin tem a ver com o aquecimento global? Muita coisa. É o que revelou seu autor, em uma entrevista recente.

“De certa maneira é irônico porque comecei a escrever Game of Thrones lá em 1991, muito antes de alguém falar sobre mudanças climáticas. Mas há – em um sentindo bastante amplo – uma certa metáfora. As pessoas de Westeros lutam suas batalhas individuais por poder e riqueza. E estão tão distraídas que ignoram a ameaça da chegada do inverno, com o potencial de destruir o mundo”, disse Martin.

“E é este o paralelo com o que o planeta vive atualmente. Estamos lutando sobre coisas importantes, nossas próprias batalhas também – direitos humanos, políticas internacional e nacional, responsabilidade social, justiça social. Tudo isso é importante. Mas enquanto estamos nos “despedaçando” e gastando tanta energia, há a ameaça das mudanças climáticas, que para mim, é um risco comprovado por 99,9% da comunidade científica. E tem realmente o potencial de destruir a Terra”.

O autor da aclamada série vai mais longe. “Ignoramos que, enquanto nos preocupamos com tantos problemas, nem um deles continuará sendo importante se estivermos mortos e nossas cidades forem inundadas pelos oceanos. Então, o aquecimento global deveria ser a prioridade número 1 para qualquer político”.

A próxima e última temporada de Game of Thrones começa em abril de 2019. Isso se o mundo não acabar antes … Qual deles?

Leia também:
Ilha no Havaí desaparece depois de passagem de furacão
Aquecimento global: a hora de agir é AGORA!
Tufão nas Filipinas, furacão nos Estados Unidos… Efeitos do aquecimento global?
2017 passa 2015 no ranking dos anos mais quentes

Foto: divulgação HBO

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta