O que as mudanças climáticas e os cogumelos dos índios Yanomami têm em comum? Um Prêmio Jabuti!


Nesta semana, em que a ONU revelou – com base no que temos feito até agora- que a temperatura vai ultrapassar os limites estabelecidos pelos cientistas e será impossível evitar os impactos profundos das mudanças climáticas, uma ótima notícia: o livro de um dos mais respeitados jornalistas de Ciência no Brasil, Claudio Ângelo, ganhou o Prêmio Jabuti, a principal premiação literária do país. Com um detalhe: seu tema é justamente o aquecimento global, tão impopular entre os brasileiros.

Que maravilha saber que A Espiral da Morte – Como a Humanidade Alterou a Máquina do Clima foi o preferido do juri na categoria Ciências da Natureza, Meio Ambiente e Matemática! Melhor ainda que às vésperas da 23a. Conferência Internacional sobre Mudanças Climáticas da ONU (COP23), que começa na próxima segunda (6/11), em Bonn, na Alemanha. O tema está no ar!

O livro é perfeito para quem ainda não entendeu a origem do aquecimento global e suas consequências – principalmente no Ártico e na Antártida, que reverberam no mundo todo -, o livro é resultado de um trabalho extenso de investigação realizado por Ângelo, a partir de viagens, conversas com cientistas, políticos, ambientalistas e, “até, com caçadores de ursos populares“, como ressalta o site do Observatório do Clima (OC), do qual é editor.

A grande sacada do autor é conectar tudo que dizem os especialistas e os desastres de grande magnitude, ligados à natureza (furacões, tufões, tsunamis, terremotos), que estamos vendo acontecer com muita frequência e que não há mais como negar, pois estão relacionados às alterações climáticas.

Além disso, a obra apresenta “as implicações sociais, geopolíticas, econômicas e culturais das mudanças climáticas e faz um exercício de sobrevivência às consequências nefastas do aquecimento global”, ressalta o OC.

Ficou interessado? Então leia um trecho de A Espiral da Morte, que a Companhia das Letras liberou em seu site.

Os cogumelos premiadíssimos dos Yanomami

O livro Ana Amopö: Cogumelos Yanomami venceu o Prêmio Jabuti na categoria Gastronomia. Foi lançado em agosto do ano passado pelo Instituto SocioAmbiental (ISA), como noticiamos, aqui, no Conexão Planeta, e apresenta trabalho minucioso de catalogação de cogumelos comestíveis, mesclando os conhecimentos de pesquisadores indígenas Yanomami, da região do Awaris (extremo noroeste de Roraima), e do ISA, do INPA, do Instituto de Botânica de São Paulo, do Instituto Federal de São Paulo, do Instituto Tottori no Japão e da Universidade Federal de Minas Gerais.

Escrita em sanöma, uma das línguas da família linguística Yanomami, a obra foi traduzida para o português.

Importante ressaltar que esse é o primeiro cogumelo comestível nativo da Amazônia a ser comercializado e a variedade é incrível! São mais de 15 espécies diferentes, algumas com sabor semelhante ao do shitake, outros com sabores surpreendentes.

A comercialização desses cogumelos faz parte de um plano das ONGs envolvidas no projeto para garantir o presente e o futuro dos Yanomami. Eles podem ser encontrados inteiros ou em pó nas prateleiras do Mercado de Pinheiros, em São Paulo, mas também podem ser comprados pela loja online do ISA. Toda a renda proveniente da comercialização do produto é inteiramente revertida para as comunidades indígenas da etnia Yanomami.

Zika premiada

O livro de Débora Diniz sobre a epidemia de Zika no Brasil levou o principal prêmio na categoria Saúde: Zika, do Sertão Nordestino à Ameaça Global.

Entre fevereiro e junho de 2016 – depois que a OMS decretou situação de emergência global por causa da Zika (que começou no Nordeste em 2014) – a autora, que é antropóloga, fez duas grandes viagens. Uma para o Nordeste, onde conviveu com mulheres, médicos e cientistas. E outra para participar de grupos de trabalho da OMS e da Organização Pan-Americana de Saúde.

A partir dessa pesquisa e de profundo levantamento bibliográfico, ela conta a história desta epidemia brasileira que ameaça o mundo. Ela vai muito além de informações sobre prevenção, transmissão, riscos para mulheres grávidas, síndrome de Guillain-Barré e outras complicações,

Imagem de destaque: montagem com as fotos de Diana Paboojian/Concurso National Geographic e divulgação dos cogumelos Yanomami

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta