O projeto Caixas de Natureza já levou mais de 15 mil crianças pra brincar ‘do lado de fora’

Este é o terceiro ano do projeto Caixas da Natureza, nossa brincadeira de trocas de experiências com a natureza entre crianças que vivem no Brasil. Até agora, já aconteceram 15 edições entre as dedicadas a famílias e grupos de crianças. Hoje, vou contar um pouco sobre as caixas feitas por grupos, de duas maneiras: falando sobre números e revelando alguns relatos de quem participa. 

Números dão ideia do tamanho do impacto que geramos. Nas 15 edições realizadas até agora, viajaram pelo Brasil país aproximadamente 1.500 caixas. Quase metade delas – 736 caixas – foram criadas por grupos de crianças: escolas, grupos de escoteiros, em condomínios, casas de brincar e outros locais de convivência coletiva infantil. Apenas na edição deste primeiro semestre de 2019 – estamos em meados de maio – foram enviadas 206 caixas.

Você consegue imaginar quantas crianças já brincaram com a natureza para que essas caixas (de grupos) fossem construídas? Se cada grupo tem a participação de cerca de 20 crianças para montar uma caixa, significa que já participaram dessa brincadeira quase de 15 mil crianças. Quase 15 mil crianças brincando do lado de fora, em contato com a natureza! Tudo isso em, pelo menos, 22 estados e mais de 60 cidades brasileiras. 

Ficamos muuuuito felizes com esses números!! Mas ainda tem mais um detalhe: os relatos que recebemos nos têm aproximado de quem faz as Caixas da Natureza acontecerem. Então, se os números nos aproximam da dimensão do projeto, os relatos nos aproximam da profundidade da brincadeira. 

E as histórias nos revelam jornadas muito interessantes. Tem uma escola pública que ampliou o seu território de brincar e começou a levar as crianças ao parque, a andar pelo quarteirão e observar o entorno e colher elementos para as caixas, em vez se limitarem ao espaço escolar. Outra, que propõe a seus alunos que vasculhem, minuciosamente a natureza existente na escola e elas acabam por descobrir que a terra do quintal tem cinco tons diferentes. Há outras, ainda, que envolvem a família e ampliam ainda mais a proposta de brincadeiras ao ar livre

Há escolas que participam desde a primeira edição. Em uma delas, por exemplo, a brincadeira com as caixas ampliou o olhar para a natureza que já existia na escola, deixando professoras e crianças mais sensíveis para a simplicidade e as possibilidades do brincar livre com a natureza. Essa mudança no olhar culminou numa transformação estética da escola, na troca de materiais disponíveis e na reorganização dos espaços e dos horários.

Tem grupo que, antes de mandar a caixa, enviou várias cartas com enigmas serem decifrados pelos colegas de outra cidade, para dar outro ritmo à brincadeira. Ora para descobrir a cidade de onde eles eram, ora para saber como era a natureza em seu entorno. Isso gerou uma deliciosa expectativa nas crianças que receberiam a caixa, o que deixou a brincadeira ainda mais interessante.

Teve professoras que envolveram o todo o grupo de funcionários da escola, as famílias, visitaram os quintais dos vizinhos e até quem recebeu prêmio de trabalho destaque na rede municipal em que trabalha.

Tem muitos grupos e famílias que mantiveram contato depois do término da brincadeira: trocaram telefone, se conectaram pelas redes sociais, fizeram video-conferências, trocaram cartas e mais cartas. Teve até quem, em viagem com a família, marcou encontro com as crianças de outra cidade e se conheceram pessoalmente.

Há três anos, quando idealizei as Caixas de Natureza, eu só queria que mais crianças brincassem com a natureza, estivessem do lado de fora e descobrissem o mundo. Hoje, sei que cada caixa que é feita, é muito mais que uma série de elementos guardados em seu interior. Está também repleta de pessoas, de experiências de vida, singularidades, culturas, contextos. São pequenos fragmentos das infâncias e das naturezas deste país tão diverso em tantos aspectos… Experiências multiplicadas por, pelo menos, 15 mil crianças!

Fotos enviadas pelas professoras

Ana Carol Thomé

É pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica. Participa de diversas formações sobre primeira infância, brincar e arte para crianças e coordena o programa Ser Criança é Natural (que dá nome a este blog), do Instituto Romã, que incentiva o contato das crianças com a natureza. Organiza a ação Doe Sentimentos e acredita no poder da infância e que o mundo pode ser melhor.

Um comentário em “O projeto Caixas de Natureza já levou mais de 15 mil crianças pra brincar ‘do lado de fora’

  • 23 de maio de 2019 em 2:33 PM
    Permalink

    Ótimo conteúdo! Parabéns de verdade! Atuo no nicho infantil com uma loja virtual https://beberebornboneca.com.br e além de vender as bebês comecei a conscientizar as mamães e crianças sobre certas coisas. Assim ajudo no desenvolvimento delas também <3

    Resposta

Deixe uma resposta