34 fotógrafas incríveis – três brasileiras – homenageadas pela ‘Time’: o olhar feminino para o mundo


Kira Pollack
, diretora de fotografia da revista americana Time faz parte do júri do concurso World Press Photo que destaca os melhores trabalhos do fotojornalismo no mundo. Mas algo sempre a incomodou – não só neste prêmio como em outros cenários da fotografia: a participação quase imperceptível de mulheres. Na última edição do WPP, este ano, por exemplo, apenas 15% dos trabalhos inscritos não foram produzidos por homens.

Foi então que ela teve uma ideia para celebrar o Mês Internacional da Mulher (março): convidou algumas das mais aclamadas fotojornalistas do mundo – como as brasileiras Marizilda Cruppe e Adriana Nehbrauskas –, além de curadoras e diretoras de fotografia para indicar os novos talentos femininos, atentos às questões urgentes no planeta.

Assim, ajudou a criar uma coleção sensacional que revela o olhar feminino para o mundo, sua perspectiva visual sobre a realidade social, política, ambiental, cultural e econômica de seus habitantes, publicada no site da revista.

Entre as 34 profissionais da imagem selecionadas estão três brasileiras: Isabella Lanave, escolhida por Marizilda Cruppe; Alice Martins, indicada por Adriana Nehbrauskas; e Luiza Dörr, selecionada pela própria Kira.  Elas desenham o cenário mundial atual com seu olhar poético, cheio de alma, de beleza, de força e de delicadeza, ao lado de todas que compõem a lista da Time.

Abaixo, um pouco do trabalho de cada uma e a foto destacada no texto da ‘Time’. E, para finalizar o post, os nomes das demais agraciadas.

Luisa Dörr

Nasceu em Lajeado, no Rio Grande do Sul, em 1988. Descobriu a fotografia por volta dos 22 anos, a tempo de desistir da carreira de designer. É colaboradora da Folha de São Paulo, e de publicações internacionais como Time, CNN. PDN. Wired, Lens Culture, Marie Claire, L’Oeil de La Photographie, Le Figaro, El País e Vice, entre outras.  Já participou de exposições solo e coletivas no Brasil, Equador, Estados Unidos, Espanha, França, Portugal, Inglaterra e Rússia. Vive em São Paulo.

O que Kira escreveu sobre seu trabalho
O trabalho de Luisa Dorr é pura poesia. Eu a descobri por acaso no meu feed do Instagram: é como se a imagem feita por ela tivesse saltado para fora da tela. Suas fotografias são cheias de alma e pensativas e ela trabalha com graça e tranquilidade. Tivermos a honra de trabalhar com ela durante os últimos meses, por isso, fiquem ligados em seu projeto fantástico, em breve, na TIME.

Alice Martins

Nasceu no Brasil em 1980. Entre 2004 e 2005, viveu na África do Sul e trabalhou com fotodocumentário sobre Aids e programas educacionais na Namíbia.

Vive no Iraque e cobre crises humanitárias e conflitos armados no Oriente Médio: a guerra na Síria desde 2012 e a guerra contra ISIS no Iraque, desde 2014. Colabora com Harper’s, Time, Stern, Newsweek e, regularmente, com The Washington Post.

O que Adriana Zehbrauskas escreveu sobre seu trabalho
Alice é um dos poucos profissinais da fotografia da América Latina – se não o único – que trabalham no Oriente Médio, com foco pesado sobre a Síria. Eu amo como ela isola ilhas de aparente calma e beleza estranha no meio do caos.

Isabella Lanave

Nasceu em 1994 em Curitiba. Formou-se em jornalismo em 2016 e colabora com diversas publicações – para as quais escreve e fotografa: Vice e Trip, entre elas. Atualmente é membro de dois coletivos: R.U.A e Flanares coletiva.

O que Marizilda Cruppe escreveu sobre seu trabalho
Isabella é de uma geração de jovens mulheres brasileiras que sabe de sua responsabilidade sobre outras mulheres, ou não estaria sempre com sua câmera na mão. Ela está sempre aberta a ouvir e a aprender, mas tem consciência de seu dever – de entrar em campo agora e ser testemunha da história, como uma parte da história. Não evita assuntos difíceis, como fotografar sua própria família da classe trabalhadora. Isabella mostra intimidade com as pessoas que ela fotografa – está perto, mas continua a ser respeitosa.

Agora, saiba quem são as outras 31 profissionais (e suas indicadoras) que tocam o coração do mundo com seu olhar. Tocaram o meu e, com certeza, tocarão o seu também (veja no site da Time):

  • Meridith Kohut (Venezuela), escolhida por Michele McNally,assistente de edição e direção de fotografia do The New York Times, EUA;.
  • Émilie Régnier (Canadá, mora em Paris), por Rena Effendi, Fotógrafa, Azerbaijão;
  • Meeri Koutaniemi (Finlândia), por Ruth Eichhorn,Editora e Curadora de Fotografia, Alemanha;
  • Nichole Sobecki (EUA, mora no Quênia), por Susan White, diretora de fotografa da revista Vanity Fair, EUA.;
  • Johanna Maria Fritz (Alemanha), por Barbara Stauss, diretora de fotografia, Suiça/Alemanha;
  • Cate Dingley (EUA), por Donna Ferrato, fotógrafa, EUA;
  • Cécile Baudier (Dinamarca), por Åsa Sjöström,fotógrafa, Suécia;
  • Tshepiso Mazibuko (África do Sul), por Jodi Bieber, fotógrafa África do Sul;
  • Kirsty Mackay (Reino Unido), porMaria Mann, European Pressphoto Agency Consultant, Portugal;
  • Adriana Loureiro Fernandez (Venezuela, mora nos EUA), por Nina Berman, fotógrafa, EUA;
  • Nazik Armenakyan (Armênia), por Svetlana Bachevanova, Publisher da FotoEvidence, EUA/Bulgária
  • Vittoria Mentasti (Itália), por Alessia Glaviano,editora sênior de fotografia da Vogue Itália;
  • Mahin Mohammadzadeh (Irã), por Newsha Tavakolian, fotógraf, Irã;
  • Ashima Narain (Índia), por Ami Vitale, fotógrafa, EUA;
  • Charlotte Schmitz (Alemanha, mora na Turquia), por Cristina De Middel Puch,fotógrafa, Espanha (mora no México);
  • Justyna Mielnikiewicz (Georgia/Polônia), por Nestan Nijaradze, diretora artística do Festival de Fotografia de Tbilisi, Georgia;
  • Melissa Spitz (EUA), por Gillian Laub, fotógrafo, EUA.(atualmente, Melissa trabalha como assistente de Gillian);
  • Nadia Bseiso (Jordânia), por Tanya Habjouqa, fotógrafa, Jordânia;
  • Monique Jaques (EUA/Brasil, mora na Turquia), por Lynsey Addario, fotógrafa, EUA;
  • Marta Iwanek (Canadá), por Barbara Davidson, fotógrafa, EUA;
  • Tatiana Plotnikova (Rússia), por Victoria Ivleva,fotógrafa, Rússia;
  • Danielle Villasana (EUA, mora na Turquia), por Ana Cecilia Gonzales Vigil, pintora, editora e consultora independente, Peru;
  • Lara Aburamadan (Palestina, mora nos EUA), por Laura Boushnak, fotógrafa, Palestinina (mora na Bósnia e Herzegovina);
  • Maja Hitij (Eslovênia, mora na Alemanha), por Heidi Levine, fotógrafa, EUA (mora em Israel);
  • Fatemeh Behboudi (Irã), por Yumi Goto, curador indepentende, Japão;
  • Tamara Abdul Hadi (Iraque, mora no Líbano), por Maggie Steber, fotógrafo, EUA;
  • Farzana Wahidy (Afeganistão), por Veronique de Viguerie, fotógrafa, França;
  • Marina Мakovetskaya (Rússia), por Lialia Kuznetsova, fotógrafa, Rússa;
  • Mónica González (México), por Eunice Adorno, fotógrafo, México;
  • Maria Turchenkova (Rússia), por Marie Sumalla, Deputy Photo Editora do Le Monde, França;
  • Violeta Santos-Moura (Portugal), por Tali Mayer, fotógrafa, Israel.

Fotos: Arquivos pessoais/Divulgação

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta