O lado bom do ambiente virtual

ambiente-virtual
É muito bom para nós ver o quanto o interesse pelo tema criança e natureza tem crescido. Percebemos isso em nosso dia a dia, desde o ano passado, porque temos sido muito procuradas por pais e educadores para conversar e entender mais a respeito. Por isso, já vínhamos pensando em encontrar uma forma mais eficiente para dialogar com mais pessoas.

Conversando com Palmira Petrocelli, especialista em educação à distância, no ano passado, encontramos uma forma de ampliar esse diálogo, ao mesmo tempo em que ficamos interessadas em enfrentar um grande desafio: criar um curso virtual sobre a importância da natureza para a infância, destinado a pais e educadores. Pra nós, que nos dedicamos a práticas educativas prioritariamente vivenciais, aderir a este método foi realmente um desafio e tanto. E, para nossa surpresa, nessa experiência as polaridades entre o presencial e o virtual se transformaram em complementaridade.

Nosso curso foi lançado em janeiro deste ano e muito rapidamente formamos a primeira turma, já muito diversa. Para nossa alegria, aderiram pessoas de diversos cantos do Brasil e também brasileiros que moram no exterior. Composto por quatro módulos, o curso propõe atividades diversas, entre elas a leitura de textos e a apreciação de vídeos sobre o tema. Além disso, o participante deve realizar uma lição fora de casa e comenta-la no ambiente do fórum virtual. Nesse espaço, todos compartilham relatos, imagens, percepções. Trazer suas vivências para um ambiente comum – mesmo que virtual – deixou o curso com “a nossa cara”. É no compartilhar dessas experiências que refletimos mais, ainda apoiados nos materiais estudados ao longo da semana.

Ao elaborar os conteúdos de cada módulo, levamos em conta o critério da intimidade, visando estimular seu crescimento. Foi esse mesmo critério que usamos na elaboração do livro Atividades em áreas naturais, sobre o qual a Rita já comentou, aqui, no blog. Afinal, é disso que tratamos: ajudar as pessoas a tornarem-se íntimas da natureza, de forma progressiva e respeitosa, até chegarem ao ponto de sentirem a unidade com ela, até sentirem de verdade que somos natureza e não há como existirmos sem a nossa fonte.

Ao longo do curso também realizamos dois hangouts, que foram experiências também muito enriquecedoras. Este momento ao vivo nos aproxima mais dos participantes e proporciona um momento de maior interação.

Chegamos à última semana da primeira turma – e já estamos recebendo pré- inscrições para a próxima – com um sentimento de agradável surpresa, ao notarmos que os estímulos que oferecemos possibilitaram que os participantes fizessem descobertas incríveis, seja sobre si mesmos, sobre suas relações com “suas” crianças (e em alguns casos com filhos adultos e amigos, para aqueles que não convivem com crianças pequenas), seja com a natureza. Algumas descobertas levaram a reflexões filosóficas importantes, outras a percepções sutis, outras a ações bem práticas.

Muitas vezes argumentamos em cursos e, aqui, no blog sobre o perigo de deixar as crianças presas às telas (da TV, do computador, dos smartphones, dos tablets) e do quanto estas as tiram da vida ativa e reduzem o desenvolvimento da autonomia e da criatividade. No entanto, percebemos – na prática – que o bom uso do ambiente virtual pode trazer benefícios que a gente nem imagina. Este curso nos tem revelado isso. Afinal, o problema está na fixação em uma polaridade, mas a solução está no equilíbrio (possível) entre elas.

Foto: Renata Stort

Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto “Ser Criança é Natural” para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.

Ana Carolina Thomé e Rita Mendonça

Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto "Ser Criança é Natural" para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.

2 comentários em “O lado bom do ambiente virtual

Deixe uma resposta