‘O Amanhã Chegou’: documentário debate impacto do nosso consumo na Amazônia

Ao apresentar iniciativas que estão transformando o cenário da sustentabilidade no Brasil, a partir de boas soluções para graves problemas ambientais, o documentário O Amanhã Chegou revela que é possível estreitar a conexão entre nosso consumo no dia a dia e as cadeias de produção que utilizam, como matérias-primas, recursos da biodiversidade amazônica.

Apresentando o cotidiano de comunidades locais, transformadas pela inserção desses elementos da floresta em sua produção – como no Parque das Neblinas, em São Paulo, e Labrea, no Amazonas, por exemplo -, o filme prova que é possível aliar crescimento econômico e preservação da Amazônia. Também indica que podemos fazer boas escolhas, que contribuam para a busca e o desenvolvimento, cada vez mais frequentes, de soluções práticas e de menor impacto ou impacto zero.

Assim, estão entre os personagens desta história roteirizada por Roberta Nader e contada por Renata Simões, os brasileiros Thiago Azambuja da Casa do Rio, em Careiro Castanho, na Amazônia, o líder comunitário Benedito Clemente, de Jurucuá, na Reserva Extrativista do Médio Purus, Raimunda Pimentel Simões (na foto de destaque), integrante de um programa de reflorestamento em área de mineração em Juruti, no Pará, e Astrogildo da Costa, presidente da Cooperativa Mista Agroextrativista Sardinha, que cuida da pescaria em manejo sustentável, em Labrea, no Amazonas.

Depoimentos de estrangeiros, donas de casa, transeuntes e crianças de outras regiões do país, apresentando a visão do leigo sobre a região amazônica enriquece a narrativa que ainda conta com a participação dos jornalistas Eliane Brum e Jackson Araújo, da arquiteta, urbanista e uma das fundadoras da Aliança pela Água Maru Whately, de Nilo D ́Ávila, do Greenpeace, do psicanalista Christian Dunker, do designer Pedro Inoue, do poeta Sérgio Vaz e do artista visual Stephan Doitschinoff. Estes, pontuam fatos históricos importantes no contexto sustentável da atualidade no país e no mundo.

Para completar esta reflexão, também foram entrevistados Dora Faggin, socióloga e fundadora e diretora de pesquisas da VOX, Michel Alcoforado, antropólogo e responsável pela Consumoteca (foto abaixo), e Luiz Marques, historiador e autor do livro Capitalismo e Colapso Ambiental, que refletem sobre o impacto do consumo no comportamento da sociedade contemporânea e no planeta.

“As viagens a diferentes pontos da floresta amazônica nos mostraram a diversidade de pensamento e percepção dentro do próprio bioma”, explica Renata. Já a roteirista Roberta Nader ressalta a importância de se compreender que há diversos caminhos que apontam para diversas soluções. “Partimos da questão da produção/consumo pois diagnosticamos que esse é, hoje, o maior desafio que precisamos enfrentar enquanto humanidade quando falamos em destruição ambiental”.

O documentário produzido por três empresas- Atômica Produções, Tocha Filmes e Canal Azul – tem 80 minutos de duração e estreou ontem, 11 de outubro, em 20 salas Cinemark de 19 cidades pelo Brasil, sempre às 19h, integrando o Projeto às 7, que garante espaço exclusivo para o cinema brasileiro.

Eis os endereços das salas: São Paulo (Shoppings Eldorado e Santa Cruz), Rio de Janeiro (Downtown), Aracaju (Shopping Jardins), Belo Horizonte (Pátio Savassi), Brasília (Pier 21), Campinas (Iguatemi), Campo Grande (Shopping Campo Grande), Cuiabá (Shopping Goiabeiras), Curitiba (Shopping Miller), Goiânia (Shopping Flamboyant), Londrina (Boulevard Londrina), Natal (Midway Mall), Porto Alegre (Barra Sul), Recife (Riomar), Ribeirão Preto (Novo Shopping), Salvador (Salvador Shopping), Santos (Praiamar), São José dos Campos (Colinas) e Vitória (Shopping Vitória).

Agora, assista ao trailler do documentário:

Foto: Bruno Miranda

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta