Novo aplicativo de fotos identifica espécies de plantas e animais

Novo aplicativo de fotos identifica espécies de plantas e animais
Você está fazendo uma caminhada ao ar livre e de repente se depara com uma flor linda, mas não tem a mínima ideia de qual é o nome dela. Como descobrir qual a sua espécie?

Agora, milhares de pessoas no mundo inteiro tem um novo aplicativo gratuito a seu dispor para ajudar nestas situações: é o Seek, app desenvolvido pela organização iNaturalist.

O programa, que roda no sistema iOS (iPhone e iPad), reconhece imagens de mais de 30 mil plantas e animais. O objetivo dos desenvolvedores da tecnologia é estimular a exploração da natureza e a aquisição de conhecimento sobre as milhares de espécies da fauna e flora do planeta. E além disso, promover o interesse pela Ciência entre as pessoas comuns.

Para incentivar também o envolvimento das crianças, o Seek dá pontos ao usuário para cada nova foto registrada. O funcionamento é bastante simples. Depois de fazer o download, o app faz a localização do usuário e assim, consegue apontar quais são as espécies de plantas e animais mais comuns naquela região. Em seguida, é só clicar a foto, que o o app faz o reconhecimento e revela o nome do que foi fotografado.

 

Das espécies animais, o software tem um banco de dados que inclui anfíbios, peixes, répteis, aracnídeos, aves, insetos, moluscos e mamíferos.

O Seek está disponível atualmente somente na versão em inglês. Mas isso não impede que ele possa ser usado em outros países, já que é fácil encontrar a tradução dos nomes em tradutores online.

A organização iNaturalist foi fundada em 2008 pelos então estudantes Nate Agrin, Jessica Kline e Ken-ichi Ueda, que cursavam um mestrado na UC Berkeley, nos Estados Unidos. Eles queriam criar uma comunidade online para naturalistas, ecologistas e amantes da natureza, em que pudesse ser feito o registro de imagens de espécies e a partir daí, gerar discussões e troca de informações sobre suas observações.

Grande parte das imagens coletadas no iNaturalist são compartilhadas com a organização internacional Global Biodiversity Information Facility, que oferece uma plataforma open-source (de acesso gratuito) para cientistas e leigos.

Para os profissionais da área, a recomendação é também baixar o app da iNaturalist, que apresenta um volume de informações muito maior, como por exemplo, o nome científico das espécies e seus habitats.

Fotos: Pxhere/Domínio Público (abertura) e demais arquivo pessoal 

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta