Nove filhotes de ave em risco de extinção nascem, na Austrália, com a ajudinha de um espanador

Nove filhotes de ave em risco de extinção nascem, na Austrália, com a ajudinha de um espanador

Com um nome pra lá de diferente, o errante-das-planícies (Pedionomus torquatus ) é uma ave símbolo da Austrália. Ou melhor, era. Acredita-se que só restem cerca de 1 mil indivíduos na natureza. No passado, em número abundante naquele país, elas foram desaparecendo devido à devastação de terras nativas para dar lugar à agricultura.

Mas há poucos dias, o nascimento em cativeiro de nove filhotes de plains-wanderer, como é chamada a ave em inglês, foi motivo de muita comemoração no Werribee Open Range Zoo, próximo a Melbourne.

Nunca antes – e em apenas 24 horas -, havia acontecido a reprodução em cativeiro de tantos filhotes. Em novembro do ano passado, outros quatro pequenos errantes-das-planícies tinham nascido no mesmo lugar.

Entretanto, a reprodução dos recém-nascidos não foi tão simples assim. No mês passado, os biólogos encontraram os ovos abandonados no ninho. Os profissionais decidiram que seria necessário intervir.  

Um macho adulto do “plains-wanderer”

O que acontece é que são os machos que chocam os ovos e criam os filhotes de errantes-das-planícies. Após colocarem os ovos, as fêmeas vão em busca de novos parceiros. Mas em alguns casos, especialmene quando os pais são ainda muito jovens, eles podem abandonar suas crias. Foi exatamente o que aconteceu no zoológico de Werribee.

“Nós damos aos pássaros todas as oportunidades para incubar e chocar seus próprios ovos”, explica Yvette Pauligk. “No entanto, o macho não apresentava um comportamento encorajador. Então, nós levamos os ovos para uma incubadora artificial. A genética única de cada uma dessas aves é preciosa demais”.

Os ovos na incubadora

Diariamente os ovos foram monitorados. O período de incubação leva 23 dias e após esse tempo, é possível ouvir os primeiros pios dos filhotes (assista ao vídeo ao final do texto ). Quando estavam prontos para eclodir, os ovos foram transferidos para uma chocadeira.

Após 12 horas do nascimento, eles foram movidos para um ambiente maior, onde foi colocado um enorme espanador, com penas pretas, que representava o “pai” dos filhotinhos, além de lâmpadas para aquecê-los.

Um dos nove filhotinhos de errante-das-planícies

Espécie única no planeta

Biólogos afirmam que é extremamente importante evitar a extinção do errante-das-planícies porque esta é uma espécie endêmica da Austrália, ou seja, só é encontrada ali e em nenhum outro lugar e sobretudo, porque ela é diferente geneticamente e em termos de evolução de qualquer outra ave do planeta.

“Geneticamente falando, eles são listados como a quarta espécie mais importante em todo o mundo e a primeira mais importante na Austrália em risco evolutivo e de extinção. Perder uma espécie tão antiga e única seria devastador”, afirma Yvette.

Em três semanas, os filhotes de errantes-da-planície terão penas suficientes para poder sobreviver nos recintos especialmente projetados para eles.

Fotos: divulgação Werribee Open Range Zoo

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta