Nova Zelândia anuncia fim das sacolas plásticas a partir de 2019


Nova Zelândia anuncia fim sacolas plásticas

A lista só faz aumentar. Desta vez foi a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, que anunciou a proibição do uso de sacolas plásticas no país no ano que vem.

“A iniciativa é necessária para proteger nossa reputação limpa e verde”, disse em um discurso.

A medida foi bem-recebida pelos comerciantes neozelandeses. Mas o governo abrirá uma consulta pública para ouvir a população e garantir que a opinião de todos seja ouvida.

“Precisamos escutar as pessoas que desejam que tomemos uma atitude perante este problema (o lixo plástico)”, afirmou Ardern. “É necessário melhorar a forma como gerimos nossos resíduos e este é um bom começo”.

Em junho último, um grupo de empresas, entre elas multinacionais como Nestlé, L’Oréal e Coca-Cola, assinaram um documento conjunto, na Nova Zelândia, em que se comprometem a usar apenas embalagens reutilizáveis, recicláveis e compostáveis até 2025.

#ChegaDePlástico

Em muitos países europeus, há décadas as sacolas plásticas já foram banidas ou tem sua distribuição cobrada.

Mostramos aqui, neste outro post, que entre outubro de 2015 e abril de 2016, os sete maiores supermercados da Inglaterra viram uma queda de 85% na entrega de sacolas, de 7,6 bilhões de unidades para 600 milhões, depois que elas deixaram de ser dadas gratuitamente nas lojas e uma taxa de apenas 5 centavos de libra foi imposta para cada unidade.

Irlanda, Escócia, Dinamarca, Alemanha, Portugal e Hungria são outros lugares onde, se você quer a sacola plástica, é obrigado a pagar por ela. Recentemente noticiamos no Conexão Planeta também que o Quênia proibiu a produção, venda e uso de sacolas plásticas com pena de multa e até prisão (leia mais aqui).

Talvez por isso mesmo, uma pesquisa recente apontou uma redução no volume de sacolas plásticas encontradas no fundo do mar no norte da Europa.

E no final de 2017, a presidente chilena Michelle Bachelet assinou um projeto de lei que proibiu a venda de sacolas plásticas em mais de 100 cidades e vilarejos ao longo da costa do país. A medida tornou o Chile a primeira nação da América Latina a enfrentar de maneira séria o problema que o plástico vem causando ao meio ambiente, ao poluir os oceanos e matar milhares de animais marinhos.

E eu termino este post com a mesma pergunta de sempre: e no Brasil, quando será feito algo sobre as sacolas plásticas? #ChegaDePlástico

*Com informações da CNN Environment

Leia também:
Lixo plástico ameaça 99% das aves marinhas
Vídeo da Nasa revela ilhas de lixo no planeta
Baleia encontrada morta na Tailândia tinha 80 sacolas plásticas no estômago
Microplástico contamina solo até de montanhas mais remotas da Suíça


Foto: Ars Electronica/Creative Commons/Flickr 

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Um comentário em “Nova Zelândia anuncia fim das sacolas plásticas a partir de 2019

  • 12 de setembro de 2018 em 6:41 PM
    Permalink

    Chega de fraldas descartáveis, de copos, de talheres, de animais e pessoas descartáveis. Precisamos valorizar o que temos e o que ainda serve, mas principalmente não podemos deletar facilmente os seres vivos da nossa vida porque a vida nos irá cobrar, amanhã, o preço alto de estarmos SÓS quando mais precisarmos da companhia deles.

    Resposta

Deixe uma resposta