Nova espécie de Tangará é descoberta no Peru

Habitando o sopé do sudoeste de Loreto ao norte da região de San Martín, no Peru, acaba de ser descoberta uma nova espécie de Tangará. A bela ave recebeu o nome de Machaeropterus eckelberryi, em comemoração ao 20º Centenário do renomado ilustrador de aves, Don Eckelberry. 

Na verdade, a Machaeropterus eckelberryi foi vista pela primeira vez em 1996, durante uma expedição de pesquisadores nas proximidades da Cordillera Azul, uma montanha isolada nos Andes.

As características morfológicas dessa ave são diferentes das subespécies locais de Tangará-rajado, mas praticamente idênticas as da subespécie Machaeropterus regulus aureopectus, encontrada nos Tepuís da Venezuela. Por este motivo, na época, os cientistas acreditaram tratar-se da mesma espécie.

Na verdade, a Machaeropterus eckelberryi já havia sido vista em 1996, mas somente agora, em 2017, após análise criteriosa de seu complexo vocal – com base nas gravações realizadas naquele ano -, especialistas do Museu de História Natural da Flórida foram capazes de identificá-la como uma nova espécie

Sua descrição, com base nas diferenças expressas em seu canto, foi publicada no artigo A new species of manakin (Aves: Pipridae; Machaeropterus) from Peru with a taxonomic reassessment of the Striped Manakin (M. regulus) complex, na revista Zootaxa.

Segundo Andrew Kratter, um dos autores do estudo e curador da coleção ornitológica do museu, estas análises não foram realizadas antes simplesmente porque o time de cientistas envolvido ainda não tinha acesso aos registros sonoros de todas as espécies para fazer a  comparação.

Ainda segundo Daniel Lane, principal autor do artigo e pesquisador associado da Universidade de Louisiana, independente da descoberta de uma nova espécie, resultados de expedições em regiões, ainda pouco conhecidas pela ciência, são relevantes em termos de aquisição de conhecimento acerca da distribuição das aves pelo mundo, seus habitats, processos evolutivos e ecológicos.

A descoberta de uma área com alta diversidade de espécies em uma montanha isolada do Peru foi extremamente importante. Não apenas para a comunidade científica, como também para a conservação da natureza. Segundo Kratter, foi graças aos resultados da expedição de 1996 que o governo peruano estabeleceu, nos anos 2000, um novo gigantesco Parque Nacional.

Ouça abaixo o canto desta nova ave, responsável pela sua descoberta:

Foto e vídeo: Museu de História Natural da Flórida

Pesquisador em ecologia e conservação, se dedica a investigar questões sobre o topo das florestas tropicais e as fascinantes interações entre animais e plantas. Hoje, à frente do Instituto Passarinhar, é um dos pioneiros em ciência cidadã no Brasil, e desenvolve projetos em conservação da biodiversidade e restauração ecológica, criando soluções para tornar os centros urbanos mais verdes.

Sandro Von Matter

Pesquisador em ecologia e conservação, se dedica a investigar questões sobre o topo das florestas tropicais e as fascinantes interações entre animais e plantas. Hoje, à frente do Instituto Passarinhar, é um dos pioneiros em ciência cidadã no Brasil, e desenvolve projetos em conservação da biodiversidade e restauração ecológica, criando soluções para tornar os centros urbanos mais verdes.

Deixe uma resposta