Nova célula solar produz energia a partir da água da chuva

Nova célula solar produz energia a partir da água da chuva

Quando se fala na viabilidade da energia solar, um dos principais empecilhos para sua produção, é a falta de sol. Em países com muita chuva, ela acaba se tornando de pouca serventia para um custo muito alto.

Pois um grupo de cientistas da Universidade de Soochow, na China, pode mudar esta realidade. Em artigo divulgado na publicação ACSNano, os pesquisadores afirmam ter desenvolvido uma célula solar que captura a energia produzida pela fricção das gotas de água da chuva na superfície da própria célula.

Os chineses colocaram sobre ela duas membranas transparentes de polímero, que contêm um nanogerador triboelétrico, que converte energia mecânica em elétrica. A “triboeletricidade” é originada a partir do atrito de dois materiais.

Outra vantagem da tecnologia é que, caso chova durante a noite, ainda assim, o painel solar pode gerar eletricidade.

A tecnologia não é nova, mas os pesquisadores conseguiram desenvolver um sistema que não é complexo. O maior desafio, entretanto, continua sendo aumentar o volume de energia produzido com a fricção, para que realmente valha a pena investir em grande escala neste novo tipo de célula solar.

O mercado de energia solar é um dos que mais cresce no mundo todo. Não é de se admirar que tanta pesquisa esteja sendo feita para melhorar ainda mais o seu desempenho.

Recentemente, noticiamos aqui, neste outro post, que o segmento foi o que mais gerou empregos nos Estados Unidos no ano retrasado. A cada 50 novas contratações, uma delas foi realizada por uma empresa de energia solar. Nada menos do que 260 mil novos postos de trabalho foram abertos no penúltimo ano.

E não foi só no país americano. Globalmente, a energia solar foi a fonte que mais cresceu no mundo em 2016. As energias enováveis representaram 2/3 da nova eletricidade adicionada à rede global de distribuição. E a China é, de longe, o país que mais tem investido no setor de painéis solares.

Leia também:
Ciclovia que brilha no escuro é recarregada com energia solar
Que tal um vidro fotovoltaico para geração de energia solar? Ele já existe!
Jovem ganha prêmio ao criar dispositivo de apenas 5 dólares que coleta energia solar e eólica 

Foto: domínio público/pixabay

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta