Neste verão, diga NÃO ao canudinho!

canudo

As praias do Rio de Janeiro continuam lindas. Mas parece que os cariocas e os turistas não andam cuidando muito bem delas. Que o digam suas areias. Nelas você esbarra, jogados no chão, em latinhas, copos de plástico, embalagens de salgadinhos, canudos… Ah, os canudos!

Como estou passando uma temporada no Rio, sempre que saio da praia faço minha “cruzada contra os canudos”. Eles estão por todo os lados! Alguns mais à vista, outros enterrados na areia, só com um pedacinho do plástico aparecendo. Vou catando tudo e jogo na lixeira.

Aparentemente inofensivo, o canudinho virou uma praga ambiental, assim como outros resíduos plásticos. Só nos Estados Unidos, por exemplo, são usadas 500 milhões de unidades por dia e no Reino Unido, mais 100 milhões. E assim como outros detritos, canudos acabam no mar, engolidos por animais, que, muitas vezes, morrem sufocados com eles.

A cada ano, 1 milhão de aves marinhas e 100 mil mamíferos e tartarugas perdem a vida ao se enroscarem ou ingerirem plástico.

Feito geralmente de poliestireno ou polipropileno, o canudinho pode ser reciclado, mas como é muito pequeno e leve, assim como tampas de garrafa, frequentemente é descartado no lixo. Sua vida útil é estimada em 4 minutos. Isso mesmo, 4 minutos! E ele leva aproximadamente 400 anos para se decompor na natureza. Atualmente 90% da poluição marinha é plástica.

Para conscientizar a população sobre a necessidade de reduzir o consumo de canudos plásticos, o WWF-Brasil lançou a campanha Nesse verão, dispense o canudinho“. A ideia é convidar sociedade, indivíduos, comerciantes e governos a fazer uma reflexão: o que cada um de nós pode fazer para reduzir o plástico nos oceanos?

Já há uma iniciativa internacional para estimular restaurantes e bares a eliminar o uso dos canudos. No site Straw Wars é possível aderir à causa. Os comerciantes do bairro de Soho, em Londres, foram os primeiros a se unir à campanha.

Então, vamos lá? Nesse verão, dispense o canudinho!  

P.S. Tudo bem, a água de coco é impossível beber sem canudinho na praia. Então, não esquece NUNCA de jogar no lixo!

 

Leia também:
Canudo comestível e biodegradável é alternativa ao plástico

Pare de chupar e salve os oceanos!

Foto: Carly Jayne/Unsplash

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta