Natureza ao lado: assim começa a reconexão com a Amazônia


Desde 2014, tenho pensado e pensado e pensado em todas as ideias mirabolantes que eu poderia ter para conseguir aproximar as pessoas da Amazônia, até perceber que essa aproximação para mim é fácil porque a vivo, mas e para quem nunca esteve lá? E para quem nunca estará?

Aí, conversando com a Mãe Terra (em meus momentos de meditação e em meio à Mata Atlântica das cidades que mais frequento, como Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis), finalmente compreendi: para nos sentirmos mais próximos de qualquer parte do planeta, precisamos primeiro nos sentir próximos da natureza que pulsa vida bem ao nosso lado.

O chão sobre o qual pisamos todos os dias.

As plantas de nossas casas.

A água que bebemos diariamente.

Os pássaros que enxergamos no céu sobre nossas cabeças.

O ar que refresca nosso respirar.

As árvores das calçadas pelas quais caminhamos.

As nuvens do céu.

O sol.

A lua.

A chuva que cai.

Estamos sendo convidados pela vida a resgatarmos, em nosso dia a dia, o sentido de “wonder”, de maravilhamento, de encantamento para o que pulsa ao nosso redor. Chegaremos nesse estágio ao nos permitirmos pausas para sermos os seres vivos, mamíferos, livres e soltos, independentes e instintivos, em nossa relação com as outras formas de vida que nos rodeiam.

Mais silêncio, menos falar compulsivo.

Mais caminhadas e passeios de bicicleta, menos carros, ônibus e metrôs.

Mais pausas ao longo do dia para olhar pela janela, menos a tela do telefone ou do computador.

Mais comer com tranquilidade, menos comer distraidamente.

Mais toque nas plantas e em nossos animais de estimação, menos distanciamento

Aos poucos, liberaremos as cascas de tanto aprisionamento no qual nos metemos e voltaremos a nos aproximar da vida que pulsa dentro e fora de nós. É uma dança. E o universo nos convida a dançar.

Ao terminar de ler esse texto, olhe para o lado e enxergue a beleza da vida fora de você.

Esse é o caminho da reconexão afetiva não apenas com a Amazônia, mas com toda vida – potente, curativa, divina – existente no planeta Terra.

Foto: Andressa Voltolini/Unsplash

Conectada com a força da floresta – guiada, protegida e inspirada por ela. Jornalista ambiental, educadora e fundadora do Reconexão Amazônia. Há mais de uma década tem se dedicado a proteger a Amazônia, onde morou por cinco anos. Mestre em Ciências Holísticas pela Schumacher College, Inglaterra, é formada em Educação para a Sustentabilidade pelo Gaia Education e Vivências com a Natureza pelo Instituto Romã.

Karina Miotto

Conectada com a força da floresta – guiada, protegida e inspirada por ela. Jornalista ambiental, educadora e fundadora do Reconexão Amazônia. Há mais de uma década tem se dedicado a proteger a Amazônia, onde morou por cinco anos. Mestre em Ciências Holísticas pela Schumacher College, Inglaterra, é formada em Educação para a Sustentabilidade pelo Gaia Education e Vivências com a Natureza pelo Instituto Romã.

Deixe uma resposta