Música inspirada no canto de pássaro extinto do Havaí é candidata ao Oscar

musica-inspirada-passaro-extinto-oscar-800
No universo de estrelas e celebridades de Hollywood, uma pequena ave, que já não existe mais, estará nos holofotes da maior premiação do cinema que acontecerá no próximo domingo, 28/02, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

A espécie O’o (Moho nobilis) era originária do Havaí. Por causa de sua beleza, foi escolhida pelos antigos reis e príncipes do arquipélago americano como o “pássaro real”. Infelizmente, o O’o já está extinto. Os últimos indíviduos foram observados em 1934.

Mas, antes disto, entretanto, cientistas conseguiram gravar o canto do que é considerado o último macho da espécie – um Kauai O’o, que ficou registrado para as atuais e futuras gerações, que nunca mais verão o lindo pássaro preto, com plumagem amarela.

Inspirado em seu canto, o compositor J. Ralph escreveu a melodia da música Manta Ray para o documentário Race to Extintion , produzido pela Oceanic Preservation Society, que fala justamente sobre a nova extinção em massa de milhares de espécies, que está acontecendo neste momento no planeta.

“Ele está cantando para a fêmea que nunca virá. Eles têm uma só companheira pela vida toda e é extremamente comovente ver este pássaro cantando sem ter noção de que ele é o último da sua espécie”, disse Ralph, em entrevista à Billboard. “Eu sabia que a melodia da música teria que ser quase que uma resposta ao chamado do O’o”.

Depois de compor a melodia, Ralph convidou Antony Hegarty para fazer a letra e interpretar Manta Ray. A música está concorrendo na categoria “Melhor Canção Original” do Oscar deste ano. “Espero que a nomeação ajude a amplificar a mensagem da extinção das espécies e o destino de nosso planeta”, ressalta o compositor.

Abaixo você confere a letra de Manta Ray em inglês e, ao final deste post, o clipe da música:

In the trees
Between the leaves
All the growing
That we did

All the loving
And separating
All the turning
To face each other

I divide
In the sky
In the the seams
Between the beams

All the loving
And separating
All the turning
To face each other

Without biodiversity
I’m nothing
It’s like I never
Existed

Without my home
With no reflection
I cease to exist

And my children
Are dying now
Inside me

All I love
All I know
All I’ve known

I am dying now
Inside me
My children

Assista agora ao vídeo com a música Manta Ray:


Leia também:
Vaticano ganha imagens das riquezas do planeta em alerta às mudanças climáticas
Imagens de animais em risco de extinção são projetadas no Empire State Building, em NY 

Imagem:  Moho nobilis-Keulemans/domínio público

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta