Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia resgata sua história com exposição que retrata a defesa do meio ambiente no país

De 31 de agosto a 3 de novembro, o Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia (MuBE) exibe AMBIENTAL: ARTE E MOVIMENTO, com desenhos, pinturas, fotografias, instalações e obras de 21 artistas, que retratam, questionam e provocam reflexões sobre questões ecológicas.

São eles: Alexandre da Cunha, Arthur Lescher, Brígida Baltar, Camila Rocha, Cássio Vasconcelos (viagem pitoresca), Cláudia Jaguaribe (foto abaixo), Daniel Caballero, Dudi Maia Rosa, Eduardo Srur, Frans krajcberg, Fulvio Pennacchi, Geórgia Kyriakakis, Hugo França, Kimi Nii, Luiz Zerbini, Manata Laudadres, Pedro Motta (na foto acima, está sua obra Náufrago Calado), Rodrigo Bueno, Shirley Paes Leme (fumaça congelada sobre tela, no final do post), Vanderlei Lopes (árvore cortada) e Yiftah Peled.

Mas a mostra não se restringe à arte. Em seu espaço externo o museu promoverá encontros daas organizações socioambientais com o publico. Será uma ótima oportunidade para que apresentem suas ideias e ações e troquem impressões. Estarão lá, aos domingos: Fundação SOS Mata Atlântica, Fundação Tamar, Greenpeace, Instituto Socioambiental (ISA), WWF-Brasil e Save-Brasil.

Claudia Jaguaribe

Nada mais atual do que apostar numa mostra como esta, num momento tão visceral da nossa história, em que o presidente do país desqualifica e ataca, diariamente, qualquer pessoa ou organização que defenda o meio ambiente e o movimento socioambiental. Dessa forma, o MuBE reafirma sua vocação em defesa do meio ambiente e da qualidade de vida, já que foi criado a partir de uma organização da sociedade civil, durante o processo de abertura política do país, no final da década de 1980.

“Temos enfatizado um olhar contemporâneo sobre a arte para ampliar o entendimento das pessoas sobre a ocupação do espaço e incorporando as expressões que dialogam com nosso ambiente“, afirma Cauê Alves, professor universitário e curador chefe do MuBE, que divide a curadoria da mostra com Marcia Hirota, diretora-executiva da SOS Mata Atlântica. Não é à toa que as duas instituições se uniram neste projeto.

Vanderlei Lopes – Arena, 2018

Em 1986 – ano em que o terreno onde está instalado o MuBE foi desapropriado e cedido para sua construção –, surgiu a Fundação SOS Mata Atlântica. Nessa época, emergiam movimentos importantes e nevrálgicos para a nossa sociedade: a consciência ecológica e a luta pela democracia e por diversas causas sociais no Brasil.

“Nascemos do interesse genuíno de lutar por algo que é de todos e assim devemos nos manter, sempre respeitando as características e funções da natureza para nosso bem-estar. É importante que a sociedade entenda a importância dos movimentos socioambientais. Sempre colaboramos para o debate a partir de dados científicos, na formulação de estratégias relevantes e políticas públicas eficazes para toda a população“, ressalta Marcia Hirota, diretora-executiva da Fundação SOS Mata Atlântica.

Foi nos anos 80 que se iniciou o movimento ambientalista no país, que ajudou a conquistar espaços para o debate sobre o tema. A mostra no MuBE mostra como isso se deu cronologicamente: o público poderá acompanhar uma linha do tempo com imagens, vídeos e informações da história e das conquistas deste movimento tão importante para o Brasil até os dias hoje.

Cássio Vasconelos – Viagem Pitoresca pelo Brasil, Jardim Botânico de São Paulo, 2015

AMBIENTAL: ARTE E MOVIMENTOS
Quando: 31/8 a 3/11 (terça a domingo), das 10h às 18h.
Abertura da mostra: 31 de agosto, das 10h (visita guiada com os artistas) às 18h
Onde: Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia (MuBE)
Endereço: Rua Alemanha, 221, Jardim Europa, São Paulo
Informações: no site do MuBE
Evento aberto e gratuito

Shirley Paes Leme – Fumaça congelada sobre tela

Fotos: Divulgação

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta