Mumbai proíbe uso de sacolas e garrafas plásticas

Mumbai proíbe uso de sacolas e garrafas plásticas

Uma das maiores cidades da Índia e o centro financeiro do país acaba de tomar uma decisão histórica ao banir a utilização do plástico de “uso único”, ou seja, sacolas, garrafas e talheres descartáveis.

A partir de hoje (25/06), comerciantes pegos usando alguns destes produtos receberão multa de mais de 200 dólares e os reincidentes podem até, parar na prisão.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, o alvo da proibição são as grandes empresas. Segundo reportagem do jornal britânico The Guardian, cadeias como McDonalds e Starbucks já teriam sido multadas por desobedecer à nova legislação.

Mumbai não é a primeira cidade indiana a declarar guerra ao plástico. Estima-se que a Índia gere 5,6 milhões de toneladas de resíduos plásticos por ano.

Como acaba não sendo reciclado, o lixo plástico entope bueiros, polui rios e mares e é ingerido pelas vacas, animais sagrados para os indianos.

É cada vez maior o número de cidades e países que estão banindo a venda e oferta do plástico de um uso-só. Na Europa, a distribuição das sacolas plásticas é proibida há anos. Quando não, ela é cobrada. Mostramos aqui, neste outro post, que entre outubro de 2015 e abril de 2016, os sete maiores supermercados da Inglaterra viram uma queda de 85% na entrega de sacolas, de 7,6 bilhões de unidades para 600 milhões, depois que elas deixaram de ser dadas gratuitamente nas lojas e uma taxa de apenas 5 centavos de libra foi imposta para cada unidade.

Irlanda, Escócia, Dinamarca, Alemanha, Portugal e Hungria são outros lugares onde, se você quer a sacola plástica, é obrigado a pagar por ela. Recentemente noticiamos no Conexão Planeta também que o Quênia proibiu a produção, venda e uso de sacolas plásticas com pena de multa e até prisão (leia mais aqui).

E no final de 2017, a presidente chilena Michelle Bachelet assinou um projeto de lei que proibiu a venda de sacolas plásticas em mais de 100 cidades e vilarejos ao longo da costa do país. A medida tornou o Chile a primeira nação da América Latina a enfrentar de maneira séria o problema que o plástico vem causando ao meio ambiente, ao poluir os oceanos e matar milhares de animais marinhos.

E o Brasil, quando vai tomar uma atitude?

Leia também: 
Quer sacola plástica? Então pague por ela!
Vídeo da Nasa revela ilhas de lixo no planeta
Em apenas um ano, Israel reduz pela metade o descarte de sacolas plásticas em seu litoral
Cidade indígena da Guatemala dá exemplo e proíbe uso de plástico
Supermercado holandês é o primeiro no mundo a ter corredor “livre de plástico”

Lixo plástico ameaça 99% das aves marinhas

Foto: Cory Doctorow/Creative Commons/Flickr

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Um comentário em “Mumbai proíbe uso de sacolas e garrafas plásticas

  • 26 de junho de 2018 em 10:08 AM
    Permalink

    Uma medida corajosa e imprescindível dos dirigentes dessa cidade da Índia, exemplo para o mundo copiar e salvar, ou fauna e flora morrerão entupidas com o nosso plástico de cada dia que atingiu esta proporção avassaladora destrutiva por falta de previsão e planejamento de seus inventores e fabricantes no passado. O Brasil deveria se inspirar, enaltecer e viabilizar para ontem ações como essa que cidades e países do mundo já estão aderindo, para limpar sua barra com brasileiros e gringos, reverdecendo o verde da bandeira poluído pela incompetência e irresponsabilidade de alguns dirigentes sem noção, porque precisa fazer muito mais para salvar o Planeta, além de gritar gol, soltar foguete e comer salgadinho tomando cerveja em frente da TV.

    Resposta

Deixe uma resposta