Migrações à Mesa: exposição revela memória afetiva das receitas de família

Você se lembra do caderno de receitas da sua mãe ou da sua avó? Se não, é porque deve ser jovem demais ou talvez porque elas não tivessem esse hábito ou não gostassem muito de cozinhar. Mas, se algum caderno desse tipo fizer parte da história da sua família, resgate-o. Com certeza ele guarda costumes culinários muito exclusivos e as preferências de sua autora, com pitadas (ou inundadas) de afeto. Em geral, lá estão ingredientes, medidas e modo de preparo de receitas simples ou que revelam segredos e nas quais você pode se inspirar em suas investidas diárias na cozinha ou, quem sabe, revelar um talento ainda adormecido.

Eu não só lembro, como guardo o caderno de receitas de minha mãe. Lá estão descritos, em detalhes, o pudim de bacalhau – sempre maravilhoso e que já foi reinventado por alguns membros da família -, o pominho de batata, o brócolis com paio, o pão de ló que provocava água na boca sempre que seu cheirinho se espalhava pela casa, além de outras iguarias com sotaque português. Pois são preciosidades culinárias assim, de diversas regiões do mundo, que o Museu da Imigração reúne – até julho de 2017 – na exposição Migrações à Mesa, em São Paulo.

O objetivo da mostra é mapear receitas e práticas de imigrantes e migrantes. Para tanto, além de selecionar peças de seu acervo, os curadores do museu convidaram o público a participar – nos meses de fevereiro e março deste ano – enviando cadernos de receitas da família, acompanhados de fotos e também de depoimentos sobre o caderno e histórias relacionadas a ele.

A seleção foi feita com a intenção de revelar peculiaridades de cada período, além de hábitos alimentares, tradições, utensílios, manchas nas páginas e notas de rodapé, tão importantes quanto às receitas, que ajudam a construir a história de cada família. Afinal, cadernos de receita são uma valiosa fonte histórica já que revelam tradições e hábitos.

Neste caso, ainda revela a história de pessoas que chegaram a São Paulo, aqui permaneceram e ainda mesclaram suas tradições gastronômicas com o que aqui aprenderam, criando novas receitas e experiências.

A exposição Migrações à Mesa é um convite para conhecer histórias únicas com as quais será difícil não se identificar. Trata-se de um ótimo passeio em qualquer tempo! Então, anote as informações para colocar em sua agenda:

MIGRAÇÕES À MESA
Museu da Imigração
Rua Visconde de Parnaíba, 1316, Mooca, São Paulo/SP
Até julho de 2017
De terça à sábado, das 9h às 17h, e domingo, das 10h às 17h.

Fotos: Daniel Quirino/Divulgação

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta