Mico-leão-dourado: um história de sucesso nos 25 anos de conservação da espécie

mico-leão-dourado

Com aproximadamente 60 cm de altura e pesando em média 0,5kg, este pequeno primata brasileiro é um dos mais queridos símbolos do nosso país. Endêmico da Mata Atlântica, mais especificamente do litoral norte do estado do Rio de Janeiro, o mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia) tem uma pelagem que varia entre tons de vermelho e dourado. Sociável e muito dócil, vive em grupos.

Esta semana, foi comemorado o Dia do Mico-Leão-Dourado, e agora, em 2017, a Associação Mico-Leão-Dourado (AMLD), na Reserva Biológica de Poço das Antas, no Rio de Janeiro, também comemora 25 anos de atividade. Por tanto, há muito o que celebrar!

Nos anos 60, restavam apenas 200 animais da espécie vivendo livres na natureza. Com o trabalho sério, profissional e bastante árduo da equipe da AMLD, com o apoio de parceiros no Brasil e no mundo, entre eles o da rede WWF, atualmente a população do mico-leão-dourado chegou a 3 mil indivíduos. O resultado do esforço é hoje exemplo de conservação para o mundo todo.

Esta é certamente uma enorme conquista! Mas ainda há muitos desafios a serem conquistados. Apesar de pequeno, este é um primata que precisa de bastante espaço para sobreviver. Estudos indicam que, para considerar a espécie fora da ameaça de extinção, são necessários dois mil micos-leões-dourados vivendo livres em pelo menos 25 mil hectares de florestas protegidas e conectadas.

Com os números atuais da população, 40% desta meta já foi alcançada. O objetivo da AMDL é que o restante seja alcançado até 2025. Para isto, além da recuperação da floresta, é preciso acabar com o tráfico ilegal de animais silvestres e investir muito em educação ambiental para conscientizar a população sobbre a importância da conservação da espécie.

2017 foi escolhido também pela Sociedade Brasileira de Zoológicos e Aquários do Brasil (SZB) para ser o Ano do Mico-Leão-Dourado, para isso foi criada a campanha “Quanto mais mico melhor!” (assista vídeo ao final deste post).

Onde encontrar o mico-leão

Existem quatro espécies de mico-leão (Leontopithecus). Todas são encontradas exclusivamente na Mata Atlântica brasileira, mas em diferentes regiões:

– Mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia) – Rio de Janeiro;
– Mico-leão-da-cara-dourada (Leontopithecus chrysomelas) – Bahia;
– Mico-leão-preto (Leontopithecus chrysopygus) – São Paulo e;
– Mico-leão-da-cara-preta (Leontopithecus caissara) – Paraná e pequena área adjacente do sudeste de São Paulo

Fonte: Associação Mico-Leão-Dourado

Leia também:
Projeto brasileiro de educação ambiental ganha prêmio internacional

Foto: Art G./Creative Commons/Flickr

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta