Mercado no Canadá usa tática bem humorada pra convencer clientes a não usar sacolas plásticas

Mercado no Canadá cria tática inusitada pra convencer clientes a não usarem sacolas plásticas

Nada como o bom humor para conscientizar as pessoas. Tem sido com ele que um supermercado em Vancouver, no Canadá, está mudando o comportamento de seus consumidores em relação ao uso das sacolas plásticas.

Especializado em produtos naturais e orgânicos, o East West Market começou a cobrar 5 centavos (de dólar canadense) por cada sacola, mas percebeu que os clientes não se importaram e mesmo assim, pagavam por ela.

A estratégia então foi criar uma série de sacolas com nomes de lojas e estabelecimentos fictícios, que ninguém gostaria de ficar andando pela rua fazendo propaganda deles.

Exemplos? “O mundo maluco do empório dos vídeos adultos”. Ou então, “O atacadão das pomadas de verrugas”. Embaixo dos logos aparece a frase: “Evite passar vergonha. Traga a sua sacola reutilizável”.

Mico total, né?

A tática deu resultado e os consumidores curtiram o bom humor do mercado e entenderam a mensagem: vergonha é usar sacola plástica nos dias de hoje.

“Mais de 1 milhão de sacolas plásticas são usadas a cada minuto. A maioria delas é utilizada uma vez e depois descartada”, explicou o East West Market, em um vídeo, divulgado em suas redes sociais. “Então, nós redesenhamos nossas sacolas plásticas para impedir que as pessoas as usem. Ajudamos nossos clientes a lembrar da sacola reutilizável e pensar duas vezes sobre plástico descartável”.

Mercado no Canadá cria tática inusitada pra convencer clientes a não usarem sacolas plásticas

Vergonha é usar sacola de plástico!

Um basta ao plástico no Canadá!

Na semana passada, o governo do Canadá anunciou a proibição de plásticos descartáveis a partir de 2021.

Em dois anos, sacolas, canudos e talheres plásticos estarão banidos no país, informou o primeiro-ministro Justin Trudeau.

Por dia, a população do Canadá jogam no lixo cerca de 34 milhões de sacolas plásticas, que acabam tendo como destino aterros sanitários.

Um levantamento recente elaborado pela ONU Meio Ambiente, em parceria com o World Resources Institute (WRI), apontou que 127 países do mundo já têm leis com restrições ao plástico. Infelizmente, o Brasil ainda não é um deles.

Seja através da proibição total ou criação de taxas e impostos sobre o comércio e a distribuição de produtos fabricados com esse tipo de material, diversos governos estão mostrando que não há mais como fechar os olhos para o problema.

A cada ano, mais de 8 milhões de toneladas de plástico acabam nos oceanos, provocando prejuízos à vida marinha, à pesca e ao turismo. O custo desses danos aos ecossistemas aquáticos gira em torno de, pelo menos, US$ 8 bilhões anualmente.

Só em 2016, a produção mundial de materiais plásticos foi de 280 milhões de toneladas, das quais cerca de 1/3 eram de uso único, aqueles descartáveis, que após poucos minutos de utilização, são jogados no lixo e raramente, reciclados.

Pressione o governo brasileiro!

Se você acha que é hora do Brasil seguir o exemplo do Canadá e se juntar a tantos outros países e ter uma legislação mais moderna e sustentável, faça a sua parte!

Uma pesquisa realizada pelo DataSenado, com mais de 6 mil pessoas, revelou que os entrevistados são majoritariamente a favor da proibição do uso de sacolas plásticas, utensílios descartáveis, cosméticos com micropartículas de plástico e sobretudo, canudinhos. Das pessoas que participaram da enquete no site do Senado, 83% afirmaram que são a favor de banir canudos plásticos.

É preciso pressão popular para que o projeto de lei no 263/2018 seja aprovado. Você pode dar sua opinião na consulta pública, no site do Senado, neste link.

Abaixo da pergunta “Você apoia esta proposição”, basta você clicar SIM, após fazer um breve cadastro.

Participe, compartilhe, chame outras pessoas a se engajar neste movimento para proteger o meio ambiente.

Leia também:
Nas Filipinas, baleia é encontrada morta com 40 kg de plástico no estômago
Estado de Nova York proíbe o uso de sacolas plásticas
Em apenas três meses, Austrália tem redução de 80% no uso de sacolas plásticas
Nova Zelândia anuncia fim das sacolas plásticas a partir de 2019
Comerciantes do Rio de Janeiro serão obrigados a substituir sacolas plásticas descartáveis por biodegradáveis
Baleia encontrada morta na Tailândia tinha 80 sacolas plásticas no estômago
Em apenas um ano, Israel reduz pela metade o descarte de sacolas

Fotos: divulgação

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta